Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
CONTRATOS

Ex-titular da Sepror, Sidney Leite acusa ADS em caso de contratos investigados pelo MP

O MP-AM apura se os recursos foram utilizados para alimentar “caixa dois” durante a eleição suplementar ao governo do Estado



20_SIDNEY-LEITE-571x381.jpg Deputado Sidney Leite ressaltou que a ADS tem comissão de licitação e possui autonomia financeira para firmar contratos. Foto: Divulgação
06/02/2018 às 17:32

O deputado estadual Sidney Leite (Pros) disse, nessa segunda-feira (05), que não tem responsabilidade sobre contratos feitos pela Agência de Desenvolvimento Agropecuário (ADS), que são investigados pelo Ministério Público do Estado (MP-AM).

A afirmação foi dada após o ex-gestor da pasta, Lissandro Breval, informar por meio de nota, que “os contratos citados na denúncia enviada ao MP-AM não foram originados na ADS e, sim, na Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), em 2015, quando o secretário da pasta era o atual deputado Sidney Leite”.

A Crítica publicou no mês passado, uma reportagem sobre a investigação de pagamentos milionários a duas empresas. O MP-AM apura se os recursos foram utilizados para alimentar “caixa dois” durante a eleição suplementar ao governo do Estado.

“A ADS tem comissão de licitação, coisa que a Sepror não tem, e tem autonomia financeira. Ela não tem autonomia orçamentária, por ser uma agência. Todo orçamento é desmembrado da Sepror. Mas quem paga e licita e executa, não é o secretário de produção. Outra coisa, eu não era o secretário, na época destes pagamentos. Eu saí da Sepror por falta de orçamento. E não estou dizendo que o secretário da época é responsável”, afirmou Sidney Leite.

“Se você me perguntar quantas licitações a ADS fez nesse período eu não sei, quantas atas não sei. Tem uma pessoa que responde. Estou à disposição para qualquer questionamento do Ministério Público”, disse.

Breval reiterou a resposta anterior, reafirmando que as licitações foram feitas à época em que o deputado era o secretário e que o orçamento da ADS é vinculado à Sepror.

Pagamentos de mais de R$ 30 milhões

Nos meses de junho, julho e agosto de 2017, a Agência de Desenvolvimento Agropecuário (ADS) pagou R$ 30,4 milhões  às empresas Auto Posto Samaúma Ltda e F. R. Comércio Varejista de Materiais de Construção Ltda.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.