Domingo, 19 de Maio de 2019
Tribunal de Contas

Termina nesta quinta (8) o prazo para Dilma apresentar defesa de contas de 2015 ao TCU

No dia 23 de agosto, a pedido da defesa da petista, o Tribunal de Contas da União aprovou nova prorrogação de 15 dias para apresentação das alegações da ex-presidenta



RSF_Dilma_Cardozo_Foto_ROberto_Stuckert_Filho_02092016-850x599.jpg
Cassada pelo Senado, Dilma deixou ontem o Palácio da Alvorada e mudou-se para Porto Alegre (Roberto Stuckert Filho/PR)
07/09/2016 às 19:50

A ex-presidenta Dilma Rousseff tem até amanhã (8) para apresentar ao Tribunal de Contas da União (TCU) sua defesa sobre os questionamentos a respeito das contas do governo de 2015. Cassada pelo Senado no dia 31 de agosto, Dilma deixou ontem (6) o Palácio da Alvorada e mudou-se para Porto Alegre (RS).

No dia 23 de agosto, a pedido da defesa da petista, o TCU aprovou uma nova prorrogação de 15 dias do prazo para apresentação das alegações da ex-presidenta. Na ocasião, o tribunal informou que não haverá nova prorrogação.

Em junho, os ministros aprovaram, por unanimidade, o relatório do ministro José Múcio sobre as contas de 2015, que aponta a repetição de irregularidades constatadas nas contas de 2014, como as operações de crédito com bancos públicos. Ao todo, foram apresentados 19 questionamentos pelo TCU e mais cinco pelo Ministério Público.

No ano passado, o TCU recomendou a rejeição das contas de Dilma de 2014, principalmente por causa da constatação de atrasos no repasse de recursos para a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, referentes a despesas com programas sociais do governo, o que configuraria operação de crédito.

Outro item apontado foram os decretos envolvendo créditos suplementares assinados pela presidenta sem autorização do Congresso Nacional. Esses dois pontos foram a base para a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.