Publicidade
Cotidiano
Notícias

Terminal 2 do Aeroporto Eduardo Gomes de Manaus está pronto para 2 milhões de passageiros

Ampliação do Terminal 2 do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes - o Eduardinho - confirma aeroporto como o maior regional do País 19/02/2015 às 09:45
Show 1
Novas instalações do Eduardinho tem o dobro da capacidade anterior
Jornal A Crítica Manaus (AM)

O Terminal 2 do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes - o Eduardinho - ampliou sua capacidade do fluxo de passageiros de 540 mil para 2 milhões após obras de adequação e modernização no seu saguão de embarque e desembarque. O aeroporto, também utilizado para a internacionalização de voos de jatos particulares com destino ao Caribe e Estados Unidos, ganhou Sala VIP, fraldário, praça de alimentação, centro bancário e foi climatizado.

Além da duplicação do terminal, de 3.658,00 m² para 6.959,00 m², a área de desembarque ganhou uma esteira rolante, o saguão de embarque e desembarque saiu de 511,91 m² para 1.035,93m² e o estacionamento foi ampliado de 5.606,56 m² para 7.325,65 m², passando de 167 vagas para carros e 32 para motos.

Outros serviços também passaram a ser disponibilizados aos passageiros do Eduardinho como: guarda volumes, caixas eletrônicos, lojas de conveniência e locadora de veículos.

Investimento

Os investimentos na modernização do Eduardinho foi de R$ 21,4 milhões. As obras foram realizadas pela Tecon – Tecnologia em Construções Ltda, em 2013.

Foram instaladas uma central de água gelada, sistema de combate a incêndio, uma praça de alimentação e os vidros do saguão principal ganharam películas protetora contra radiação solar, que contribui para aumentar o conforto térmico e luminoso do ambiente, otimizando o sistema de ar condicionado reduzindo o gasto de energia elétrica.

“Hoje Manaus tem um aeroporto que não deve nada a outros brasileiros do seu porte, inclusive com mais conforto e comodidade para passageiros Vips em trânsito para o exterior, já que no Eduardinho ocorre a internacionalizacão de voos do Brasil para o Caribe e os Estados Unidos. O passageiro precisa sair da aeronave para a fiscalização e agora encontra serviços como caixas eletrônicos, fast-food e sala VIP”, informa o responsável técnico da Tecon, Nilson de Paula.

Publicidade
Publicidade