Publicidade
Cotidiano
Cotidiano, Política, Verba Federal, Dnit, Suframa, Terminal Fluvial, Estação Fluvial, Iranduba

Terminal construído com verba federal afunda em interior do Amazonas

Construída com uma verba federal de mais de R$ 660 mil, nos últimos 12 anos a estação fluvial de Iranduba estava desativada, desde que passou da administração da Colônia de Pescadores local para o gerenciamento da prefeitura 25/01/2013 às 16:42
Show 1
Projeto original da estação fluvial incluía uma fábrica de gelo, câmara frigorífica e grupo gerador, máquinas teriam desaparecido
Síntia Maciel Iranduba

Inaugurado em 1988 com a finalidade de atender o embarque e desembarque de passageiros, que navegam pelo rio Solimões, em Iranduba, o terminal fluvial do município – situado a 34 quilômetros de Manaus – teve a sua estrutura parcialmente afundada na manhã dessa quinta-feira (24).

Construído com uma verba federal de mais de R$ 660 mil, nos últimos 12 anos a estrutura estava desativada, desde que passou da administração da Colônia de Pescadores local para o gerenciamento da prefeitura.

“Sob a nossa gerência o terminal chegou a funcionar por aproximadamente quatro anos, e mesmo as duas reformas que foram realizadas na balsa, foram feitas com o dinheiro da Colônia dos Pescadores, a prefeitura pagava apenas a energia e nada mais”, informa o presidente da Associação e do Sindicato de Pescadores e Pescadoras Profissionais e Artesanais de Iranduba (Aspepi), Raimundo Ferreira dos Santos.

Como o terminal funcionava em regime de comodato, segundo o sindicalista a prefeitura pediu o terminal, que teve que ser repassado ao poder público. Entretanto, o caso foi levado ao conhecimento da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), já que a verba liberada para a construção foi pela autarquia.

O município teria sido multado, pelo abandono do terminal, mas o mesmo não retornou para os pescadores. Apesar das solicitações feitas ao ex-prefeito Nonato Lopes, que esteve à frente da prefeitura de Iranduba nos últimos oito anos, a estrutura continuou desativada.

“No início desta nova gestão procuramos o prefeito (Xinaik Medeiros), para tratar da devolução do terminal para os pescadores. Ele concordou em nos repassá-la novamente”, destaca o presidente da Aspepi.

A estrutura daria lugar a um terminal pesqueiro, onde seria montada diariamente a Feira do Peixe, das 5h às 8h, até que o novo porto do município fosse inaugurado – as obras se encontram paradas, há apenas uma estrutura metálica enferrujando dentro do rio

Segundo Raimundo, a entidade já havia orçado a reforma do terminal em R$ 78 mil, além de entrar em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), para que técnicos do órgão auxiliassem na secagem da estrutura, que se encontrava alagada, e buscar parcerias para os consertos necessários.

Entretanto, a intempérie e a falta de manutenção ao longo dos anos fez com que o terminal ficasse com mais de 90% de sua estrutura comprometida pela ferrugem, o que contribuiu para que o terminal afundasse nessa quinta-feira.

Além de Iranduba outras 13 estações fluviais semelhantes também foram construídas, em outros municípios do Amazonas. Os mesmos foram erguidos por meio de emendas propostas pelo ex-senador e atual prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto.

Publicidade
Publicidade