Publicidade
Cotidiano
Notícias

Teste em enfermeiro tem resultado positivo e EUA pode ter segundo caso de ebola confirmado

Homem tratou de paciente que morreu de ebola nos Estados Unidos na quarta-feira (8). Número de mortos em conseqüência do surto já ultrapassou 4 mil, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) 12/10/2014 às 17:13
Show 1
Agentes de saúde usam proteção para Ebola em Monróvia, capital da Libéria, em 30 de setembro de 2014
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Um profissional de saúde, que tratou de um homem que morreu de ebola nos Estados Unidos, teve resultado positivo em um teste preliminar do vírus, informou neste domingo (12) o Departamento de Serviços Médicos do Texas. Este poderá ser o segundo caso de ebola diagnosticado em território norte-americano.

“Nós sabíamos que um segundo caso poderia ser realidade e estávamos nos preparando para essa possibilidade”, disse o médico David Lakey, comissário do Departamento de Serviços Médicos do Texas. “Estamos ampliando a nossa equipa em Dallas e trabalhando com extrema diligência para evitar a propagação” da doença, acrescentou.

O profissional de saúde relatou que teve febre baixa na quinta-feira (9) à noite e foi isolado, situação que levou à realização de testes, conforme comunicado dos serviços de saúde do Texas. O paciente não foi identificado e a forma do seu contágio também não foi divulgada.

“As autoridades de saúde já entrevistaram o paciente e estão identificando os contatos e possíveis exposições. As pessoas que tiveram contato com o profissional depois de os sintomas surgirem serão monitoradas”, informou ainda a nota.

O profissional de saúde é do Texas Health Presbyterian Hospital de Dallas, centro hospitalar onde estava internado Thomas Eric Duncan, o liberiano que contraiu ebola e morreu na quarta-feira (8).

O número de mortos em consequência do surto de ebola surgido na África Ocidental no fim do ano passado ultrapassou 4 mil, segundo o mais recente balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado sexta-feira (10) em Genebra.

De acordo com os últimos dados da OMS, de 8 de outubro, já foram registrados, no total, 8.399 casos em sete países, com 4.033 mortes.

Os países afetados foram divididos em dois grupos pela OMS, sendo o primeiro constituído pela Guiné-Conacri, a Libéria e Serra Leoa – os três mais atingidos – e o segundo pela Nigéria, o Senegal, a Espanha e os Estados Unidos.

*Com informações da Agência Lusa

Publicidade
Publicidade