Publicidade
Cotidiano
IMPEACHMENT

'Tirar os direitos de cidadão de uma pessoa é extremo', diz Omar, sobre Dilma

Senador pelo Amazonas se manifestou durante discussão sobre desmembramento dos votos sobre impeachment e perda de direitos políticos 31/08/2016 às 12:00 - Atualizado em 31/08/2016 às 12:34
Show omar
Omar mostrou preocupação que benefício dado a Dilma possa favorecer, também, Eduardo Cunha / Foto: Ag. Senado
acritica.com Manaus (AM)

“Acho extremo demais tirar os direitos de cidadão de uma pessoa”. A declaração foi dada pelo senador Omar Aziz (PSD-AM), durante discussão sobre o destaque apresentado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) pedindo o desmembramento da votação do impeachment da decisão sobre a perda dos direitos políticos da presidente Dilma Rousseff.

O presidente da sessão de julgamento, Ricardo Lewandovski, que é presidente do Supremo Tribunal Federal, acatou o destaque e a questão será votada em separado do impeachment. Isso dá a Dilma a chance de manter seus direitos políticos e a possibilidade de, por exemplo, ingressar na docência de uma universidade pública. “Perder os direitos políticos é uma coisa, perder os direitos de cidadão é outra coisa”, afirmou Omar.

O senador questionou Lewandovski se o desmembramento aceitado por ele poderia beneficiar, futuramente, o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), mantendo também seus eventuais direitos políticos. “Não pode ser criada uma lei em benefício de apenas uma pessoa”, justificou Omar, afirmando que não estava saindo em defesa de Cunha.

Lewandosvski, no entanto, afirmou que teria que se abster da questão, pois o mérito pode ser julgado pelo STF futuramente.

Publicidade
Publicidade