Publicidade
Cotidiano
SEGURANÇA PÚBLICA

Titular da SSP-AM pede ampliação de parcerias com governo federal em reunião

Coronel Louismar Bonates se reuniu com o secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Teophilo, nesta segunda-feira (18) 18/02/2019 às 21:08
Show coronel bonates 1a7b1ced 5fc8 41d8 9d7c 355a0544be3b
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Ampliar a proteção das fronteiras do Amazonas foi um dos principais assuntos debatidos durante reunião do secretário de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, com o secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Teophilo, nesta segunda-feira (18), em Brasília (DF). Além da questão das fronteiras, o Amazonas pediu do governo federal recursos para aquisição de lanchas, armas e rede de comunicação via satélite para interligar unidades policiais do interior.

Seguindo determinação do governador Wilson Lima, o titular da SSP-AM chegou à capital federal nesta segunda e deve seguir até quarta-feira (20), participando da reunião do Conselho Nacional de Secretários de Segurança Pública. O evento vai reunir os gestores da pasta de todos os estados a partir de amanhã, para discutir as propostas da Lei Anticrime.

“Foi uma reunião muito proveitosa onde tratamos da questão das nossas fronteiras, da realização de operações conjuntas, da prorrogação da Força Nacional e da doação de equipamentos e materiais para as nossas polícias. Além disso, pedi apoio na liberação do projeto da VT Sat, para a comunicação no interior”, disse o coronel Bonates.

Em postagem no Twitter, o general Teophilo destacou o encontro, assegurando parcerias entre Estado e União para o setor de Segurança Pública. “Recebi na tarde desta segunda-feira (18), o coronel Louismar Bonates, titular da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Na pauta da reunião, tratamos das demandas da região amazonense na certeza de futuras parcerias para o Estado”, relatou.

Segundo o coronel Bonates, um dos pontos prioritários da pauta foi a solicitação de 120 lanchas para efetuar o policiamento nos rios não só em região de fronteira. “O nosso policiamento dever ser em grande maioria fluvial. As nossas áreas de proteção ambiental estão sendo invadidas pelos garimpeiros e pelos traficantes e, por ser área de proteção, é difícil acesso. Então, nós temos que ter acesso rápido. Por isso, vamos solicitar lanchas velozes para Polícia Civil e Militar”, afirmou. 

Publicidade
Publicidade