Domingo, 17 de Novembro de 2019
Notícias

TJ-AM publica nova comissão de concurso público

Tribunal de Justiça do Amazonas publicou em seu Diário de Justiça Eletrônica o nome dos membros da comissão, sem Paulo Fernandes



1.gif Conselheiro Wellington Saraiva veio a Manaus e conversou com a cúpula do TJ-AM sobre o concurso público
14/06/2013 às 08:31

Foi publicada nesta quinta-feira (13) no Diário da Justiça Eletrônico a nova composição da comissão do concurso público do Tribunal de Justiça do Amazonas. A presidência continua com o desembargador Aristóteles Thury, com os seguintes membros: juízes Joana Meireles e Mateus Guedes e os assistentes de gabinete, Ieda Cláudia de Oliveira Castro e Nilmar Lima. Da OAB-AM, os representantes na comissão são Jairo Bezerra Lima e Ademário do Rosário Azevedo. 

A nova composição da Comissão atende a uma exigência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que suspendeu a provas do concurso para juiz substituto, que ocorreria no dia 5, por decisão do conselheiro Wellington Saraiva, em resposta a um Procedimento Administrativo que questionava a presença na comissão do juiz Paulo Fernandes, o qual tem parente inscrito para realizar o certame. 



O conselheiro Wellington Saraiva esteve nesta quinta-feira em Manaus e declarou, segundo a assessoria de imprensa do TJ-AM, que o órgão não recebeu, até o momento, nenhuma denúncia grave de irregularidade envolvendo o concurso público da corte judiciária amazonense. Ele participou de uma reunião na se da instituição, onde falou também sobre boatos que sempre surgem durante a realização de concursos públicos no País.

Saraiva se reuniu com todos os membros da Comissão dos Concursos do TJ-AM, com o presidente da instituição, desembargador Ari Jorge Moutinho da Costa, e ainda estavam presentes o superintendente regional da Polícia Federal no Amazonas, Sérgio Fontes, o representante da Fundação Getulio Vargas (FGV Projetos), Elder Abreu, e o corregedor geral de Justiça do Amazonas, desembargador Yedo Simões de Oliveira.

“A finalidade da reunião foi ouvir do Tribunal de Justiça do Amazonas, da Fundação Getúlio Vargas, instituição especializada contratada pelo Tribunal para realizar os certames, da Ordem dos Advogados do Brasil, que acompanha o concurso por determinação da Constituição, e das outras entidades parceiras na realização do concurso como a Polícia Federal, sobre como o certame vem se desenvolvendo até agora e se houve algum episódio de irregularidade na aplicação das provas do concurso de servidores, que já aconteceu, e se resta alguma pendência em relação ao concurso de juiz”, explicou Saraiva.

Sobre o concurso para juiz substituto ele disse que, naquele momento em que recebeu o Processo Administrativo, verificaram que havia uma pendência relacionada à publicação da alteração da comissão do concurso. “A mesma já foi sanada e vamos examinar se resta ainda outra pendência para poder autorizar que o Tribunal, juntamente com a Fundação (FGV), marque uma nova data para a prova”, salientou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.