Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
Notícias

Tjam considera inconstitucional a lei que estabelecia altura para ingresso na PM do Amazonas

O julgamento da ADI ocorreu na sessão do Pleno desta terça-feira (07)



1.jpg Tjam
07/05/2013 às 18:46

O Pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), presidido pelo desembargador Rafael de Araújo Romano, decidiu em sessão realizada nesta terça-feira (7) pela inconstitucionalidade da Lei Estadual nº 3.498/2010, que estabelecia requisitos de idade e altura para ingresso na Polícia Militar do Estado do Amazonas.

A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), nº 2011.0044793-0, foi requerida pelo procurador geral de Justiça em face dos art. 21,IV; 22,IV; 25; 29,V e VII da Lei Estadual nº 3498/2010, e teve como relator o desembargador Cláudio César Ramalheira Roessing, que votou pela improcedência da ação.

Apesar da argumentação dos procuradores do Estado do Amazonas, o desembargador Flávio Humberto Pascarelli inaugurou a divergência e votou pela inconstitucionalidade da Lei. Pascarelli foi seguido pelos desembargadores Yedo Simões de Oliveira, Domingos Jorge Chalub, João Simões, Socorro Guedes, Wellington José de Araújo, Jorge Manoel Lins, Carla Maria dos Santos Reis e Rafael Romano. Votaram com o relator, os desembargadores Sabino Marques, Paulo Caminha Lima e João Mauro Bessa.

Para o desembargador Flávio Pascarelli, não se deve diferenciar altura entre homens e mulheres na Polícia Militar do Amazonas já que ambos exercem a mesma função. "Entendo que não é razoável exigir altura e diferenciar homens e mulheres porque vão exercer a mesma função e também porque o Exército Brasileiro e a Marinha exigem uma altura mais inferior", disse, ao explicar seu ponto de vista.

O desembargador Yedo Simões citou a altura exigida pelas Forças Armadas brasileiras e disse que foi equivocada a construção da Lei.

"Como o concurso é nacional, o parâmetro deve ser o nacional. Penso que foi equivocada a elaboração da Lei. Se o cidadão está apto a concorrer ao Exército e Marinha, também pode concorrer para ingresso na Polícia do Estado do Amazonas. Se limitarmos a altura dos amazonenses em um concurso da PM vamos criar uma desigualdade", afirmou o corregedor geral de justiça, desembargador Yedo Simões.

De acordo com a Procuradoria Geral do Estado do Amazonas (PGE/AM), a altura mínima exigida pela Lei Estadual nº 3.498/2010 - de 1,60 metro para mulheres e 1,65 metro para homens -, está abaixo da média nacional e, além disso, o concurso público não é destinado apenas à população amazonense, mas para qualquer brasileiro que deseja prestar o certame no Estado do Amazonas.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.