Publicidade
Cotidiano
Notícias

Trabalhadores denunciam empresa do polo eletroeletrônico após demissões

A H-Buster demitiu funcionários, mas ainda não cumpriu totalmente suas obrigações trabalhistas 09/07/2013 às 08:13
Show 1
Ex--funcionários denunciaram descaso da H-Buster para deputados, em abril
Cinthia Guimarães Manaus

Trabalhadores demitidos da H-Buster, empresa do polo eletroeletrônico de Manaus, reclamam o atraso no pagamento das parcelas do seguro desemprego e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Em abril, eles já haviam feito a mesma queixa, quando levaram o assunto à Assembleia Legislativa do Estado (ALE).

Os ex-funcionários, que têm direito à assistência médica até seis meses após a demissão, afirmam que o plano de saúde não é mais aceito.

A filial da fabricante chinesa passa por uma fase de recuperação judicial, já que teve seus bens confiscados. Por conta disso, a empresa demitiu cerca de mil trabalhadores ao longo de 2013 e agora segue com 600 colaboradores. Depois do arrocho financeiro e das demissões, a H-Buster decidiu concentrar sua produção somente em equipamentos de som automotivo, deixando de produzir televisores de LED e LCD em sua unidade local.

Em nota à imprensa, a H-Buster informa que está empenhada em honrar todos os compromissos acordados com os ex-funcionários da fábrica de Manaus. “A empresa aguarda uma decisão da Justiça para a liberação de recursos que foram indevidamente confiscados. A companhia esclarece ainda que os ex-funcionários seguem com direito ao plano de saúde dentro das condições previamente acertadas”.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana, disse que entrou com ação coletiva para garantir pagamento dos direitos trabalhistas como multa por rescisão de contrato, férias, 13º salário, etc, e que a audiência de conciliação na Justiça do Trabalho está marcada para outubro.

A H-Buster informou também que, em breve, apresentará seu plano de recuperação judicial e reafirma sua expectativa de restabelecer a produção na fábrica de Manaus.

Ampliação Em agosto do ano passado, a fábrica teve projeto de ampliação aprovado pelo Conselho de Administração da Suframa (CAS), onde iria começar a produzir telas de LCD. Na ocasião, diretoria da H-Buster recebeu a visita do superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, e do secretário executivo do MDIC, Alessandro Texeira onde firmou o compromisso de contratar 200 novos funcionários.

A H-Buster é uma empresa de origem chinesa. Sua matriz no Brasil está localizada em Cotia (SP) onde produz bens de informática. Em Manaus, a filial funciona desde 2007, onde produz televisores e equipamentos de som automotivo.

Publicidade
Publicidade