Publicidade
Cotidiano
SAÚDE MENTAL

Janeiro Branco: início do ano é boa hora para colocar a mente em equilíbrio

Período pode ser um marco na busca pela saúde mental, que reflete em uma vida melhor em todos os sentidos 03/01/2019 às 20:49 - Atualizado em 04/01/2019 às 09:33
Show janeirobranco 62c3e6c1 85e9 46a9 a001 12eca9ee01a4
Desde 2017 Manaus participa da campanha Janeiro Branco. Foto: Jair Araújo - 28/jan/2018
Luiz G. Melo Manaus (AM)

O início de ano não é feito só de festas, comidas e bebidas, mas também de novas (ou velhas) resoluções. Nada mais comum nessa época, afinal, a chegada de um novo ano é o momento ideal para traçar metas para os dias que virão. Das mais comuns estão “ir à academia”, “começar uma dieta”, “se alimentar melhor”, etc., contudo, além da saúde física, dedicar tempo e disposição para cuidar da saúde mental também é um ponto fundamental para uma vida equilibrada e saudável.

Ter saúde mental significa equilíbrio, ou seja, não é estar nem muito eufórico, tampouco muito deprimido. É natural termos as mais variadas emoções diante das imprevisibilidades da vida, mas conseguir voltar a um ponto de equilíbrio é essencial.

Se há uma unanimidade entre psicólogos de todas as correntes seria esta: cuidar da saúde mental é um investimento a longo prazo que traz contribuições significativas em vários campos da vida. “A saúde mental envolve as emoções do ser humano em vários aspectos de sua existência. Desde a relação com o trabalho a conteúdos mais profundos que ele ainda não percebe interferir nas suas relações sociais”, diz o psicólogo clínico Alexandre Cavalcante. Colocar a saúde mental como resolução de 2019 é o primeiro passo para elaborar conflitos que deixarão de ser obstáculos para tornar-se oportunidades de crescimento no ano que se inicia”, acrescenta ele.

O primeiro passo, de acordo com Alexandre Cavalcante, é reconhecer que precisa de ajuda. “Há um grande mito de que quem busca terapia é insano. Hoje em dia tem crescido a procura por profissionais da psicologia justamente pelo reconhecimento de que todos em algum momento precisam elaborar seus conflitos internos. Ter um ano saudável inclui reconhecer as nossas próprias limitações para trabalhá-las e procurar práticas que nos fazem bem, pois todos nós devemos encontrar um tempo para nós mesmos além das responsabilidades diárias”, aconselha.

Das práticas que podem nos beneficiar, ensina ele, estão praticar exercícios físicos, realizar o autocuidado comparecendo ao médico para aqueles exames de rotina que vem adiando (o famoso chek-up), reservar um tempo semanal para algum “hobbie”, como caminhar, ler, ir ao cinema, ao teatro, entre outras atividades prazerosas.

Mais empatia

Para começar o ano novo com a saúde mental em dia, a psicóloga  Aline Félix, uma das coordenadoras da campanha Janeiro Branco em Manaus, orienta que é preciso desenvolver mais a empatia, ou seja, o ato de se colocar no lugar do outro, em como ele se sente. “Tudo o que nós fazemos reflete em alguém ou em algo. Precisamos ser mais empáticos, solidários, em pensar como o outro se sente com as nossas atitudes e, principalmente, em como nós nos sentimos com relação ao que deixamos o outro fazer conosco”, observa a profissional.

“É indispensável também cuidar do corpo, da aparência, e principalmente cuidar dos nossos sentimentos e pensamentos porque se não estamos bem psiquicamente não conseguimos estar bem fisicamente”, destaca.

10 dicas para você cuidar melhor da sua mente em 2019*

1 – Pare de se comparar aos outros e se concentre em si mesmo, afinal, a grama do vizinho nem sempre é mais verde. Aquele casal que parece feliz nas redes sociais, de perto pode ser o retrato da infelicidade. Ou seja, nem tudo é o que parece;

2 – Procure dormir bem. As pessoas precisam, em média, de seis a oito horas de sono por dia. Além do descanso físico, durante o sono repomos os hormônios do cérebro;

3 – Faça exercícios físicos. Não precisa participar de uma maratona amanhã. Uma caminhada no quarteirão já pode trazer um impacto imediato na sua saúde. Afinal, quando nos mexemos o corpo libera serotonina e outros hormônios do bem-estar, o que ajuda a combater a depressão;

4 – Passe mais tempo desejando o bem para outras pessoas. Elogiar as pessoas ao seu redor ou participar de um trabalho voluntário podem ajudar, pois assim você acaba esquecendo um pouco os próprio problemas e adquire uma outra perspectiva sobre a vida;

5 – Procure usar bem as redes sociais. Não é tão fácil assim se desconectar da internet, mas tente acessar mais conteúdos que te façam feliz. Assista mais vídeos inspiradores, engraçados ou de animais fofinhos ao invés de se cercar de pessoas tóxicas e notícias que "te deixam na bad";

6 – Varie um pouco as atividades do dia a dia. Faça um caminho diferente na volta do trabalho, tire um dia pra ver um filme diferente na internet, faça alguma atividade cultural no meio da semana, enfim, sair do automático faz bem à cabeça;

7 – Desenvolva uma rotina pra se "mimar". Deixe seu celular no silencioso pra ver sua série favorita em paz, ou ler algumas páginas de algum livro, ou tomar um chá ou um café quentinho etc.;

8 – Respire. Dica simples, mas importante. Quando estiver em um momento estressante pare por um momento. Feche os olhos. Inspire. Expire. Repita bem devagar. Isso pode te deixar mais calmo;

9 – Dimensione a importância dos acontecimentos. Ao invés de se desesperar de imediato pare e se pergunte, ‘’isso realmente é uma catástrofe?’’ ou ‘’isso será importante daqui a um ano?’’;

10 – Procure ajuda profissional. É sempre válido pedir ajuda para familiares e amigos próximos, mas procurar um psicólogo é indispensável, pois ele é um profissional capacitado para lidar com as emoções humanas.

*Consultoria: Alexandre Cavalcante (psicólogo clínico)

Atendimento ao alcance de todos

Para quem pensa em deixar a visita a um psicólogo para depois por conta de grana curta, boas notícias: todo mundo com plano de saúde tem direito a atendimento psicológico e sessões ilimitadas, de acordo com determinação da Justiça Federal de 2017. 

E para quem não tem plano, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece atendimento gratuito por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), há três na capital. Algumas ONGs e empresas também oferecem esse tipo de serviço sem custos, e alguns cursos de psicologia oferecem atendimento psicoterapêutico gratuito por meio de projetos de extensão em clínicas-escola.

A Clínica de Psicologia Aplicada da Uninorte Laureate, por exemplo, desde 2004 oferece atendimento psicológico gratuito. E só em 2018, segundo a professora Anne Rabelo, aproximadamente 870 pessoas procuraram o serviço. “Entre os casos mais comuns que recebemos esse ano estão depressão, ansiedade e pensamentos suicidas, este último principalmente entre adolescentes”, conta.

Como os trabalhos são desenvolvidos por semestre, em fevereiro os alunos finalistas iniciam o processo de preparação e orientação com profissionais e técnicos para, quando a clínica retomar os atendimentos, aplicarem a teoria na prática.

“Os interessados podem comparecer na unidade 15 [avenida Getúlio Vargas, 720, Centro] das 8h às 19h, portando documento com foto.  Em caso de criança o responsável legal deve estar presente (ambos com documentos, crianças com certidão de nascimento e responsáveis com RG). Ao chegar na portaria basta informar que gostaria de ir à Clínica de Psicologia. Também pode entrar em contato através do telefone 3212 5169 para mais informações”, orienta Rabelo.

Aos moradores das zonas Sul, Norte e Leste de Manaus o curso de psicologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) também oferece, há mais de 20 anos, avaliação psicológica e atendimento psicoterápico gratuito. Os atendimentos acontecem no Centro de Serviços de Psicologia Aplicada (CSPA), a clínica-escola da Faculdade de Psicologia, localizado no setor sul do Campus da Ufam, Coroado I Zona Leste de Manaus. Lá os alunos finalistas do curso de psicologia (sob a orientação dos professores) realizam aproximadamente 720 sessões psicoterápicas por mês. Cada pessoa é atendida uma vez por semana ao longo de um semestre.

Caps

Há três Centros de Atenção Psicossocial (Caps) em Manaus que não necessitam de encaminhamento e que estão de portas abertas para atender todo tipo de sofrimento psíquico, dos mais severos aos mais leves. ‘’Há aproximadamente  100  profissionais  de  saúde  que atuam  nos  três  serviços  que  compõem  a  atenção psicossocial especializada sob gestão municipal’’, informou a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde.

O Caps Benjamim Matias Fernandes fica localizado na avenida Maneca Marques, 1916, Parque 10  de  Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus. O local oferece um  serviço  especializado  no  atendimento  de  pessoas  adultas  com  transtornos mentais graves e persistentes, com funcionamento 24 horas, todos os dias da semana.

O Caps Dr. Afrânio Soares, localizado  na  alameda  Espanha,  5,  conjunto  Jardim Espanha, Aleixo, também na Zona Centro-Sul, oferece serviço especializado no atendimento aos adultos com problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas, com funcionamento 24 horas por dia, em todos os dias da semana, inclusive fins de semana e feriados.

Já o Caps Infantojuvenil Leste, localizado  na  avenida  Adolfo  Duque,  1221, conjunto  Acariquara,  Coroado, Zona Leste, oferece serviço especializado no atendimento a crianças e adolescentes com transtornos mentais e problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Com funcionamento de 7h às 17h, no local também são atendidas crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista (TEA).

Mês de sensibilização: Janeiro Branco

Para ajudar a propagar mais ainda a importância do cuidado com a nossa saúde mental, desde 2017 Manaus aderiu ao “Janeiro Branco”, quando, durante um mês, são realizadas palestras e ações com o objetivo de levar informações para a população a respeito do bem estar psicológico e emocional.

As atividades serão realizadas vários pontos da capital, seja em policlínicas, igrejas, ONGs, empresas, entre outros. “Precisamos falar mais sobre o que sentimos, o que nós pensamos, enfim, necessitamos de mais ambientes onde podemos falar voluntariamente sobre a nossa saúde mental”, disse a psicóloga Aline Félix, uma das coordenadoras da campanha.

Segundo ela, as pessoas hoje estão mais preocupadas com a saúde mental, mas ainda confundem com “doença mental”. “Para algumas pessoas ainda é tabu falar sobre qualquer situação que envolva a sua saúde mental”, diz ela, frisando que a depressão e o transtorno do pânico são os casos mais comuns em Manaus.

A programação completa da campanha  pode ser acompanhada na página “Janeiro Branco Manaus” no Facebook.

Publicidade
Publicidade