Publicidade
Cotidiano
SAÚDE MENTAL

Transtornos mentais, dependência química e saúde pública: como ter tratamento no AM?

Compromisso com a saúde mental é prioridade dos Centros de Atenção Psicossocial. Confira procedimento de triagem e locais especializados para tratamento de patologias psíquicas 20/07/2018 às 07:09
Show centro
Foto: Alex Pazuello/Semcom
Isabella Pina Manaus (AM)

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o quinto país com a maior taxa de incidência de casos de depressão. Os números alarmantes se estendem por todas as vertentes dos transtornos mentais. Da idealização suicida à dependência química, passando por crises psicóticas e déficits cognitivos. Todos merecem - e precisam de tratamento.  No Amazonas, para quem faz uso do serviço público de saúde, o que fazer quando detectado um caso? Quem ajuda? Como funciona? Qual caso vai para onde? Como funciona?

"Hoje, trabalhamos com a proposta de que nem todos os casos precisam ir para a psiquiatria. O paciente que sente uma necessidade - ou que claramente precisa de ajuda - vai a um posto que faça o atendimento, passa por uma triagem de escuta qualificada e é aí que a gente vai entender a história do sujeito. Aí que vamos ver para onde direcionar e qual forma de acolhimento podemos oferecer", explica a coordenadora da Rede de Atenção Psicossocial da Secretaria de Saúde do Amazonas (RAPS/Susam), Luciana Diederich.

O serviço da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) é formado por sete componentes. Eles vão da atenção básica em saúde, onde casos são atendidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e tratam de fazer a triagem inicial do paciente, até a estratégia de reabilitação psicossocial, onde é oferecido serviço para a reinserção do indivíduo que passou por longa recuperação na sociedade. De casos a especializações e direcionamentos, vamos por parte.

Primeiro, é importante esclarecer que todo e qualquer paciente com suspeita ou que esteja em claro quadro de surto psicótico ou em situação de sofrimento pode se dirigir a qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) ou Policlínicas que estão habilitadas a prestar atendimento. Para quadros e tratamentos específicos, o paciente pode ser levado diretamente para um Centro de Atenção Psicossocial (CAPs). Os dados coletados são das Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa). 

Ao fim desta matéria você pode consultar o endereço de todos os Centros de ajuda. 

Tendência suicida

Um caso emergencial, de alta gravidade - e recorrência - é a pessoa que apresenta idealização suicida. Nesse caso, o abalo emocional atinge níveis esgotantes. Para quem usa o serviço público e precisa do atendimento de urgência deve se direcionar ao Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro. É lá que ela encontrará uma equipe preparada para a situação.

Se a pessoa acabou de cometer uma tentativa de suicídio a instrução é clara: o caso ainda é clínico e o paciente deve ser encaminhado para algum Sistema de Pronto Atendimento (SPA).

Lembrete importante: para quem sofre e busca ajuda, há sempre o atendimento por telefone do Centro de Valorização da Vida. O número é: 188.

Transtornos mentais 

Um paciente que já foi diagnosticado com algum transtorno mental (e isso abre um leque para uma vasta lista de patologias) deve procurar atendimento no Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) Silvério Tundis ou o Caps Benjamin Matias Fernandes. 

Ambos são serviços especializados no atendimento de pessoas adultas com transtornos mentais graves e persistentes. Funcionamento de 24 horas por dia.

Dependência Química

Na literatura médica, paciente que se encaixam na Classificação Internacional de Doenças (CID) nas classes entre F10 e F19 carregam o diagnóstico de Transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de substância psicoativa. Isto é, em resumo: dependentes químicos. Pessoas que batalham contra a adicção e vivem intensa fase de drogadição. 

Para onde levar um paciente? Ou, se por vontade própria, o usuário deseje tratamento, para onde ir?

CAPS AD III Dr. Afrânio Soares. O serviço é especializado no atendimento aos adultos com problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Também de funcionamento de 24 horas por dia. 

Dependência química e transtornos em crianças e adolescentes

Para as crianças e adolescentes, tanto para atendimento psiquiátrico como para dependentes químicos, o serviço é oferecido no mesmo local. O CAPs I Leste. Lá o tratamento aborda, também, quadros clínicos de de patologia dual, que é quando o paciente apresenta pertubação adictiva e pertubação mental ao mesmo tempo.

Além disso, a clínica está preparada para atender crianças com transtorno do espectro autista (TEA). O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Atendimento inicial e direcionamento

No SUS, o primeiro acesso das pessoas que demandam um cuidado em saúde mental pode ser viabilizado através da Atenção Primária em Saúde (APS), por meio do acesso a Unidades Básicas de Saúde (UBS).  É daí que vem a triagem. Neste ponto de atenção, as ações são desenvolvidas em um território geograficamente conhecido, nas próprias comunidades, possibilitando aos profissionais de Saúde uma proximidade para conhecer a história de vida das pessoas. É a partir daí que pacientes e profissionais criam ferramentas e estratégias para compartilhar e construir juntos o cuidado com a saúde mental.

"Se a pessoa não sabe o que tem, ela pode procurar uma UBS. Lá ela passa por uma triagem e é direcionada para os serviços devidos. Seja um CAPs ou qualquer outro atendimento, como nas Policlínicas, onde há, também, atendimento psicológico. A pessoa basta aparecer, é um serviço de portas abertas.Lá ela passa por avaliação e recebe o primeiro acolhimento na busca de tratamento", conta Efthimia Simões Haidos, responsável pela rede de atendimento municipal.

Acompanhamento no CAPs

A partir do momento que um paciente, seja em qual patologia ou sofrimento se encaixe, entra no CAPs, ele passará por uma triagem de avaalição. A partir daí inicia-se o acompanhamento e observa-se as suas necessidades. Com isto definido, é sugerido o plano de ação para tratamento. 

O Centro trabalha com:

  • Atendimento intensivo: o acompanhamento é diário para pessoas que se encontram em grave sofrimento psíquico, em situação de crise ou outras dificuldades emergenciais.
  • Atendimento não-intensivo: é para quando o paciente está sob controle e precisa de apenas três consultas mensais para acompanhamento
  • Atendimento semi-intensivo: nesta classe, o paciente pode receber até 12 atendimentos no período de um mês. É oferecido quando os sintomas passam a se estabilizar
     

ENDEREÇOS

  • CAPS Silvério Tundis - Av. 7 de maio, s/n, Santa Etelvina (gestão estadual) e CAPS Benjamim Matias Fernandes - Av. Maneca Marques, Nº 1916, Parque 10 de novembro (gestão municipal). Ambos são serviços especializados no atendimento de pessoas adultas com transtornos mentais graves e persistentes. Funcionamento de 24 horas por dia.
  • CAPS AD III Dr. Afrânio Soares - Av. Efigênio Sales, nº 5, Conjunto Jardim Espanha, Aleixo. Serviço especializado no atendimento aos adultos com problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Também de funcionamento de 24 horas por dia.
  • CAPS i Leste está localizado na Av. Adolfo Duque, nº 1221 – Conj. Acariquara – Coroado. Serviço especializado no atendimento a crianças e adolescentes com transtornos mentais e problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Conforme orientação do Ministério da Saúde (MS), o CAPSi é o dispositivo da saúde também destinado ao atendimento de crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista (TEA). O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17 horas.

UBS da Rede Municipal com serviço de Psicologia:

  • UBS Armando Mendes - Rua 05, s/n, Manoa – Cidade Nova I;
  • UBS Deodato de Miranda Leão - Av. Presidente Dutra, s/n – Glória;
  • UBS Leonor de Freitas - Av. Brasil, s/n – Compensa II.

Policlínicas com atendimento especial

  • Policlínica Dr. José Antônio da Silva - Rua Aroeira, 55 – Monte das Oliveiras;
  • Policlínica Antônio Reis - Rua Escandinávia, 710 – Betânia;
  • Policlínica Castelo Branco - Rua do Comércio, 42 – Parque Dez;
  • Policlínica Comte Telles - Rua J, Etapa B, s/n – São José II;
  • Policlínica Franco de Sá - Av. V, s/n – Nova Esperança I;
  • Policlínica Djalma Batista - Rua 23 de Dezembro, s/n – Compensa II.
  • Policlínica Zeno Lanzini. Endereço: Av. Autaz Mirim, nº 7035, Tancredo Neves.
  • Policlínica Gilberto Mestrinho. Endereço: Av. Getúlio Vargas, nº 341, Centro.
  • Policlínica José de Albuquerque Lins. Endereço: Rua Maracanã, s/nº, Redenção.
  • Policlínica João dos Santos Braga. Endereço: Av. Margarita, s/nº, Nova Cidade. 
    Policlínica Codajás. Endereço: Av. Codajás, nº 26, Praça 14 de Janeiro.

CAPs no interior do Amazonas

  • CAPS I Hilda Siqueira Pinto. Endereço: Rua Governador Álvaro Maia, nº 29. Município: Rio preto da Eva. Contato: (92) 99249-5109.
  • CAPS I São Gabriel da Cachoeira. Endereço: Rua sete de Setembro, s/n, Praia. Município: São Gabriel da Cachoeira. Contatos: (97) 3471-1066 / 98110-6356.
  • CAPS I Iranduba. Endereço: Av. Solimões, nº 188, Bairro Alto. Município: Iranduba. Contato: (92) 3367-2578.
  • CAPS I José Antônio de Araújo. Endereço: Rua 31 de Janeiro, s/nº, Ajuricaba. Município: Manaquiri. Contatos: 99317-1734 / 99129-0588
  • CAPS I Autazes. Endereço: Rua Marechal Castelo Branco, nº 190, Centro. Município: Autazes. Contato: (92) 3317-1498.
  • CAPS I Nova Vida. Endereço: Rua 24 de Agosto, s/n, Santa Luzia. Município: Nova Olinda do Norte. Contato: 91938-3291.
  • CAPS AD. Endereço: Rua projetada, nº 1803. Município: Manacapuru. Contato: (92) 3361-1151.
  • CAPS I Joaquim Pereira de Castro. Endereço: Av. Ribeiro Junior, nº 424, Centro. Município: Manacapuru. Contato: (92) 3361-1181.
  • CAPS I Codajás. Endereço: Rua Eduardo Ribeiro, Bairro Colônia. Município: Codajás. Contato: (92) 99100-2512.
  • CAPS I Coari. Endereço: Rua Gonçalves Ledo, nº 367, Espírito Santo. Município: Coari. Contatos: (97) 3561-2453 / 3640.
  • CAPS I Guarajá. Endereço: Rua Edison Herculano, s/n, Centro. Município: Guajará. Contato: (97) 99151-5118.
  • CAPS I Eirunepé. Endereço: Rua Intendente José Pedro, nº 0035, Centro. Município: Eirunepé. Contato: (97) 3481-1208.
  • CAPS I Maria Fernandes. Endereço: Av. Mário Andreazza, nº 780, Centro. Município: Apuí. Contatos: (97) 3567-6067 e 99831-9888.
  • CAPS I Humaitá. Endereço: Av. Brasil, nº 983, São Francisco. Município: Humaitá. Contato: (97) 98117-3677.
  • CAPS I José Maria Pantoja. Endereço: Av. Sete de Setembro, s/n, São Sebastião. Município: Borba. Contatos: (92) 3512-1144.
  • CAPS I Manicoré. Endereço: Av. Getúlio Vargas, s/n, Centro. Município: Manicoré. Contatos: (92)99404-9566.
  • CAPS II São Lucas. Endereço: Rua Carla, nº251, Jardim Florestal. Município: Itacoatiara. Contato: 99440-0706.
  • CAPS I Maués. Endereço: Rua Cel. João Viçosa Rolim. Município: Maués. Contato: 99274-7273.
  • CAPS II Adolfo Lourido. Endereço: Rua Herberth de Azevedo, nº 985, Santa Clara. Município: Parintins. Contatos: 3533-1000 e 3533-0093          
  • CAPS I Lígia Rodrigues Barros. Endereço: Rua Marechal Deodoro, nº 610, Centro. Município: Tefé. Contato: (97) 3343-6684.
Publicidade
Publicidade