Publicidade
Cotidiano
Notícias

TRE-AM cassa mais um prefeito do Amazonas por abuso de poder

Com voto contrário do MPE-AM, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) cassou por quatro votos a um os mandatos do prefeito e vice de Boa Vista do Ramos 01/10/2014 às 12:55
Show 1
Prefeito Amintas Júnior foi acusado de ter cooptado votos na eleição de 2012 com transporte ilegal de eleitores, distribuição de combustível e entrega de bens
náferson cruz ---

Na sessão plenária desta terça-feira (30), o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) cassou os diplomas do prefeito do Município de Boa Vista do Ramos, Amintas Junior (PMDB) e do seu vice, Pedro Dias (DEM), por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2012. A decisão foi dada pela corte durante julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) interposta pela coligação de Marlon Trindade (PT) – que ficou na segunda colocação nas eleições de 2012.

Amintas teve o recurso ven cido por 4 votos a 1. Nos próximos dias, a defesa pretende ingressar com outro recurso. Se este for vencido, o caso será levado à última instância, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em sua leitura, o Ministério Público Eleitoral no Amazonas (MPE-AM) avaliou que a ação contra o prefeito e o vice não fosse aceita. O procurador eleitoral substituto, Jorge Medeiros, afirma não ter encontrado subsídios que comprovassem atos eleitorais ilícitos praticados por Amintas Júnior e Pedro Dias. A mesma posição foi compartilhada pelo desembargador Wellington Araújo.

Porém, os juízes Marco Antônio, Affimar Cabo Filho, Dídimo Santana e Délcio Santos, já haviam opinados em sessão anterior contra o parecer ministerial, sustentando seus votos (quatro) contra apenas um, de Wellington Araújo.

Entre as s acusações feitas contra o prefeito e o vice, dispostas na peça processual, estão a suposta entrega de uma lancha para a comunidade Betel, distribuição de requisição de combustível, disponibilização de servidores da prefeitura para confecção de Carteiras de Trabalho (CPTS) feitas nas vésperas e no dia da eleição e transporte irregular de eleitores, além do financiamento público da campanha de Amintas, pelo ex-prefeito do município, Glauciomar Pimentel (PSC).

Para o relator do processo, Marco Antônio Pinto da Costa, não há dúvida quanto as irregularidades eleitorais praticados pelo prefeito. “Para conseguir os votos está bem claro no vídeo e depoimento de testemunhas que o maior cabo eleitoral de Amintas foi o ex-prefeito do município”, comentou.

Amintas Júnior foi eleito prefeito com 30,70% dos votos válidos. Adversários históricos da cidade, Marlon Trindade, do PT, e Telles Dias (PSB), ficaram com 27,96% e 21,23% dos votos, respectivamente.

Publicidade
Publicidade