Publicidade
Cotidiano
Eleição 2016

TRE aprova envio de força federal para quatro municípios do interior do Amazonas

Tiveram os pedidos de reforço de soldados do Exército para o dia da eleição os municípios de Parintins, São Paulo de Olivença, Autazes e Japurá, mas o de Jutaí foi negado 15/09/2016 às 05:00
Show img0017397951
Relator Abraham Peixoto se manifestou a favor do envio de tropas federais para Parintins, São Paulo de Olivença, Autazes e Japurá
Aristide Furtado Manaus

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) aprovou ontem o envio de forças federais  para os municípios de Parintins, São Paulo de Olivença, Autazes e Japurá para garantir a segurança no dia 2 de outubro, mas rejeitou o pedido feito pela comarca de Jutaí.


O principal motivo levantado pelo juiz eleitoral de Parintins para pedir o reforço das forças armadas no dia do pleito foi o fato do município possuir o m aior colégio eleitoral do interior do Amazonas (64.044 eleitores) e localidades rurais de difícil acesso, e também por possuir um destacamento da Marinha sediado na cidade.

No município, estão lotados  198  policiais militares, sendo que só 101 atuam no policiamento ostensivo. Em seu voto, o relator do processo, juiz Abraham Peixoto ressaltou que Parintins tem 61 locais de votação e contará com 320 agentes da PM, policias Civil e Federal, e do Exército. Uma média de cinco homens por local de votação. “O que se revela insuficiente para garantir a segurança e a normalidade do pleito, mormente quando, conforme observado pelo juízo requerente, se trata do maior eleitorado do interior amazonense e que há um destacamento da marinha sediado naquele município”, disse o magistrado.   

Abraham Peixoto também votou e foi atendido pelo envio de tropa federal para São Paulo de Olivença e para Amaturá, que funciona na mesma zona eleitoral. O argumento, além do reduzido contingente de policiais militares foi o histórico de conflitos nas campanha eleitorais. Os dois municípios possuem 27 locais de votação, muitas de difícil acesso.

O acirramento dos ânimos dos grupos políticos em Autazes, principalmente após a cassação do prefeito em 2012, Wanderlan Penalber, foi um dos motivos alegados pela justiça eleitoral para concordar com o deslocamento de soldados do Exército para Autazes. O município contará 107 agentes da PM, Polícia Civil e das Forças Armadas.

Japura, que só conta com seis praças da PM, com  o reforço da PM e do Exército saltará para 32 homens no dia da eleição. Mesma sorte não teve Jutaí. O relator do pedido de força federal, Francisco Marques, se manifestou pela aprovação. Contudo, o seu colega Henrique Veiga se posicionou contrário a esse entendimento e foi acompanhado pelos demais membros do TRE-AM.

Para serem efetivados, os pedidos aprovados pelo TRE-AM precisam ser confirmados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Publicidade
Publicidade