Publicidade
Cotidiano
MANIFESTAÇÃO

Cerca de 200 policiais civis se reúnem na ALE-AM para exigir emenda na LOA 2017

A atual versão da Lei Orçamentária Anual, que tramita na Casa, não discriciona a verba diretamente para o pagamento dos policiais, gesto que eles encaram como uma tentativa do Governo de driblar o pagamento 22/11/2016 às 18:56
Show policiais03
Para a categoria, exigência é a mais urgente dentre as várias demandas com o Governo (Foto: Lucas Jardim)
Lucas Jardim Manaus (AM)

Cerca de 200 policiais civis compareceram à sessão da ALE-AM desta terça-feira (22) para exigir que o Governo do Estado inclua na Lei Orçamentária Anual (LOA) do ano que vem a terceira parcela do escalonamento salarial da categoria. 

A atual versão da LOA, que tramita na Casa, não discriciona a verba diretamente para o pagamento dos policiais, gesto que eles encaram como uma tentativa do Governo de driblar o pagamento.

“Começamos a mobilização às 8h da manhã e não vamos arredar o pé daqui até a nossa emenda ser incluída no orçamento. Nós temos uma lei aprovada que trata da nossa reestruturação salarial e esse valor foi parcelado em quatro vezes. Nós já recebemos duas parcelas e iríamos receber a terceira em janeiro de 2017, mas a LOA não a contemplou e o Governo alegou que ele teria colocado essa verba na Sead, mas ela estando lá, ela pode ser usada para qualquer coisa. Ele pode remanejar para nos pagar? Pode. Mas se o Governo tivesse a boa vontade de pagar, por que não colocar especificamente no orçamento como foi feito nos anos anteriores?”, declarou Akerna Chagas, diretora do Sindicato dos Escrivães e Investigadores da Polícia Civil do Amazonas (Sindeipol).

“A categoria vem agindo com muita tolerância em relação a inúmero itens que não vêm sendo respeitados pelo Governo, como a nossa promoção, que está atrasada desde 2013, a nossa data-base, que já não é paga há dois anos, as condições insalubres às quais os policiais estão sendo submetidos, o tíquete-alimentação, que nos foi tirado. Disso tudo, estamos só cobrando a parcela”, concluiu Jaime Lopes, diretor jurídico do Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Estado do Amazonas (Sinpol).

O líder do Governo na Casa, deputado David Almeida (PSD), informou que o pagamento da terceira parcela da lei que instituiu a reestruturação remuneratória dos policiais civis será incluído no orçamento de 2017, através de emenda coletiva dos deputados para ser cumprida em janeiro.

“A reivindicação da Policial Civil estará contemplada por uma emenda coletiva, feita pelo deputado Adjuto Afonso que vai ser aprovada pelos deputados para ser cumprida já em janeiro”, afirmou David Almeida.

Publicidade
Publicidade