Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
TERMO

TRT11 celebra acordo de R$ 1,1 milhão entre Bradesco e ex-funcionária

A bancária ingressou com reclamação trabalhista contra o HSBC e o Bradesco em novembro de 2016, pretendendo receber o pagamento de diferenças salariais, horas extras, tempo a disposição da instituição financeira durante as viagens, além indenização pelos danos morais sofridos no ambiente de trabalho



bradesco_C22DD61C-FE71-4FDD-BB1B-A5B7C048EF01.JPG Foto: Reprodução/Internet
18/11/2019 às 11:20

O Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (CEJUSC-JT) em Manaus realizou acordo no valor de R$ 1,1 milhão entre o Bradesco e uma ex-funcionária. O acordo, homologado em 4 de novembro, fez parte da XIV Semana da Conciliação, realizada este mês pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em todo os Tribunais de Justiça, Tribunais do Trabalho e Tribunais Federais do país.

A bancária ingressou com reclamação trabalhista contra o HSBC e o Bradesco em novembro de 2016, pretendendo receber o pagamento de diferenças salariais, horas extras, tempo a disposição da instituição financeira durante as viagens, além indenização pelos danos morais sofridos no ambiente de trabalho.



Entenda o caso

A reclamante foi contratada em dezembro do ano 2000, e sempre exerceu a função de gerente titular, gerente regional de Postos de Atendimento Bancários, Gerente Regional de Aquisição e Superintendente, até sua demissão, sem justa causa, ocorrida em novembro de 2014. Em petição inicial ela alega que era responsável pelas agências nos Estados do Amazonas, Roraima, Acre, Rondônia e da cidade de Santarém, no Pará, denominada de Região Centro/Norte.

Desde que foi promovida a superintendente regional, em dezembro de 2010, a reclamante tinha como atribuição: responder pelo RH, pelos negócios, estrutura física, capacitação da equipe, atingimento de metas, e organização de todas as agências citadas acima. A bancária alega que recebia salário e gratificação de função infinitamente inferior aos colegas que ocupavam o mesmo cargo que ela em outras regiões do país, como Região Nordeste e Centro-Oeste, demonstrando a ausência de isonomia e discriminação pelo fato dela trabalhar na Região Norte do país.

Em setembro de 2017, a 5ª Vara do Trabalho de Manaus julgou parcialmente procedente os pedidos da reclamada e condenou as instituições financeiras. O processo trabalhista estava na 2ª instância do Regional, aguardando decisão quanto ao pedido de Recurso de Revista, quando o Bradesco solicitou o envio ao Cejusc-JT para tentativa de conciliação.

Acordo realizado

Em audiência realizada no Cejusc-JT em Manaus, as partes concordaram com o pagamento de R$ 937.55,18 mil à reclamante, para quitação de todos os pleitos formulados no processo. O acordo gerou R$ 104.650,00 de recolhimento de contribuições previdenciárias e R$ 57.794,82 referente a recolhimento de imposto de renda, totalizando R$ 1,1 milhão. A conciliação que pôs fim ao litígio foi mediada pela servidora Marina Araújo e homologada pelo juiz do trabalho supervisor do Cejusc-JT, Mauro Augusto Ponce de Leão Braga. Ele fez parte das audiências realizadas pelo TRT11 durante a Semana Nacional da Conciliação, realizada anualmente pelo CNJ.

Em cinco dias de evento, o Cejusc-JT em Manaus arrecadou R$ 2,3 milhões em acordos. Foram realizadas 29 audiências de conciliação e homologados 18 acordos.

*Com informações da assessoria de imprensa do  TRT-11

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.