Domingo, 17 de Janeiro de 2021
Eleições americanas

Trump demite principal autoridade de segurança cibernética dos EUA por negar fraude em eleição

Trump fez alegações infundadas de que a eleição foi “fraudada” e se recusou a conceder a derrota ao presidente eleito Joe Biden



063_PRESIDENT-TRUMP-HOLDS-A-NEWS-CONFERENCE-IN-WHITE-HOUSE-BRIEFING-ROOM-660x372_0778411E-1284-4F35-9F41-E74E1C08CC6C.jpg Foto: Reprodução / Internet
18/11/2020 às 08:16

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demitiu na terça-feira (17), a principal autoridade de segurança cibernética do país em uma mensagem no Twitter, acusando-o, sem evidências, de fazer uma declaração “altamente imprecisa” por afirmar que a eleição de 3 de novembro foi segura e rejeitar alegações de fraude.

Sua equipe de campanha ingressou com ações judiciais em Estados-chave, embora autoridades eleitorais de ambos os partidos tenham dito não ver evidências de irregularidades graves.



O trabalho de Chris Krebs para proteger a eleição de hackers e combater a desinformação sobre o voto ganhou elogios de parlamentares de ambos os partidos, bem como de autoridades estaduais e eleitorais em todo o país. Mas ele atraiu a ira de Trump e seus aliados, que estavam irritados com sua recusa em apoiar as alegações de interferência eleitoral.

Agências de notícias noticiaram na semana passada que Krebs havia dito a pessoas próximas que esperava ser demitido.

Trump disse no Twitter que Krebs havia garantido às pessoas em uma declaração “altamente imprecisa” que a eleição havia sido segura, quando havia “grandes impropriedades e fraudes --incluindo pessoas mortas votando, fiscais de urna proibidos em locais de votação” e erros nas urnas eletrônicas que trocaram votos de Trump para Biden.

Na segunda-feira (16), dezenas de especialistas em segurança eleitoral divulgaram uma carta dizendo que as alegações de grandes invasões cibernética não se sustentam e parecem absurdas.

O Twitter colocou avisos de alerta nas postagens de Trump, observando: “Esta afirmação sobre fraude eleitoral é questionável”.

Krebs comandava a Agência de Segurança Cibernética e Segurança de Infraestrutura do Departamento de Segurança Interna (Cisa) desde sua criação, dois anos atrás.

Ele revoltou a Casa Branca por causa de um site administrado pela Cisa batizado de “Controle de Rumores” que refuta a desinformação sobre a eleição, de acordo com três pessoas a par do assunto.

Um porta-voz da Cisa disse que a agência não tem comentários.

Krebs não foi informado do plano de Trump de demiti-lo, segundo uma pessoa a par da questão, e soube da decisão pelo Twitter. Matthew Travis, vice de Krebs e número dois da agência, renunciou na noite de terça-feira.

O diretor-executivo da Cisa, Brandon Wales, deve assumir o lugar de Krebs como chefe interino da agência nesta quarta-feira, disse uma autoridade da agência à Reuters sob condição de anonimato.

Um porta-voz do presidente eleito Joe Biden afirmou: “Chris Krebs deve ser elogiado por seus serviços na proteção de nossas eleições, não demitido por dizer a verdade.”

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.