Publicidade
Cotidiano
DOENÇA

Tuberculose é uma das doenças que mais matou no Amazonas, diz FVS

Em 2016, o Amazonas apresentou 67,2 casos da doença em cada cem mil indivíduos. Em relação ao Brasil, os números chegaram a 32,4 em relação ao número de habitantes 07/06/2017 às 11:52 - Atualizado em 07/06/2017 às 12:04
Show 9 98797
Durante 2016 foram registrados, 2.821 novos casos de tuberculose (Foto: Reprodução Internet)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Durante cem anos a tuberculose foi uma das doenças infecto-contagiosas que mais matou pessoas no Amazonas. Conforme dados divulgados pelo Ministério de Saúde, o Estado apresentou a maior incidência de casos do Brasil em 2016. Foram registrados 67,2 casos a cada cem mil habitantes. A segunda colocação ficou com o Rio de Janeiro com 61,2 casos.

Em relação ao Brasil, os números chegaram a 32,4 em relação ao número de habitantes. Segundo a Fundação de Vigilância de Saúde (FVS) em cada cem mil habitantes 67 são vítimas da doença no AM. Os números se agravam em relação à Manaus. O órgão informou que a taxa chega 93 pessoas com casos de tuberculose em comparação a mesma quantidade de habitantes.

Durante 2016 foram registrados, 2.821 novos casos de tuberculose. Em comparação ao ano de 2015, o número até diminuiu. Os dados registrados foram de 2.863.

“Tivemos a maior taxa de incidência da doença, porque dividimos os números de casos com o número da população. Ou seja, a cada cem habitantes a estimativa é que 67,2 casos foram registrados no Amazonas. Há cem anos, a tuberculose é uma das doenças que mais mata e precisamos realizar o diagnóstico cedo”, disse a coordenadora Estadual do Programa de Controle de Tuberculose da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Marlucia Garrido.

No ano passado, o município de Autazes e Silves apresentaram também as maiores taxas de incidência da doença. “Quando você analisa o número de novos casos no ano passado no Amazonas em comparação ao ano de 2015, percebe que existiu uma queda. Isso tudo é fruto de um trabalho, pois começamos a incentivar mais o acesso a essas doenças”, comentou a coordenadora.

Marlucia também aconselha as pessoas que apresentarem tosse por mais de três semanas para procurar um médico. “A tuberculoso não é um problema novo. Mesmo sendo uma doença contagiosa, possui cura. As pessoas precisam procurar uma unidade de saúde o mais rápido”, completou.  

Publicidade
Publicidade