Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Tuberculose têm questões graves como interrupção de tratamento e problema social

Em 2016, o Estado registrou 2.790 casos novos da doença sendo desses 2000 casos somente na capital amazonense 22/03/2017 às 05:00
Show tuberculose
Auditório da Delegacia Geral sediou o 2º Seminário Interinstitucional sobre Tuberculose / Fotos: Márcio Silva
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A tuberculose é um assunto preocupante desde o início da Era Cristã, e curar quem é acometido por ela sempre levou em conta fatores como a dedicação do paciente para não sofrer a famosa “recaída”. Na próxima sexta-feira será celebrado o Dia Mundial de Luta de Combate a Tuberculose, mas o Amazonas não tem muito o que comemorar, e sim trabalhar: em 2016 o Estado registrou 2.790 casos novos da doença sendo desses 2000 casos somente na capital amazonense. Foram à óbito um total de 148 pessoas nesse período. Todos esses dados colocam o AM na triste liderança do ranking com o maior taxa de incidência da doença no País, seguido por Rio de Janeiro e Pernambuco.

A doença é um problema social que atinge principalmente as parcelas mais carentes da população e que deve deve ser um trabalho contínuo e que não envolve apenas a área da saúde, informou Bernardino Albuquerque, diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Estado do Amazonas (FVS-AM) e um dos participantes do 2º Seminário Interinstitucional sobre Tuberculose organizado terça, dia 21, em Manaus.

“O trabalho contra a tuberculose envolve um trabalho contínuo da área de saúde, social e da população em sí. É a doença da pobreza, e as pessoas têm a doença, mas não o que comer. Quando se faz um diagnóstico de tuberculose numa determinada família, há a necessidade de verificar se outras pessoas que já possam ter adquirido a doença. Isso é uma situação que tem que ser levado em consideração”, comentou Bernardino.

“A questão da tuberculose é preocupante mundialmente e considerada uma doença emergente não só no País mas em todo o Amazonas, onde temos feito um investimento muito grande na melhora do diagnóstico e do tratamento, entretanto isso não é suficiente pois temos que estabelecer parcerias, conscientizar a população quanto à questão do abandono de tratamento que é outro fator importante”, completou ele.

A partir dos 2 meses de tratamento da tuberculose, de um total de 6 meses, o paciente já não apresenta os sintomas da doença (sem febre e tosse), e muitos deles relaxam e abandonam o próprio tratamento, o que complica e reativa o quadro, que pode ser fatal: isso pode determinar a resistência ao tratamento, ou seja, aquela droga que o poderia ter curado, já não tem a mesma eficácia porque o bacilo adquiriu resistência. Nesse quadro, chega um determinado momento que não há mais como curar o indivíduo. Aí é a morte”, aconselha Bernardino Albuquerque.

Tuberculose e HIV 'andam de mãos dadas'

A tuberculose  e o HIV andam juntos, e uma agrava a situação da outra, refletindo nos trabalhadores de forma desfavorável, alerta Marlucia Garrido, coordenadora do Programa Estadual de Controle da Tuberculose da FVS-AM.

No mundo inteiro, entre as pessoas que têm Aids, a tuberculose é a primeira causa de mortes com doença infecciosa, e a maior parte dos óbitos, como os 148 registrados no Amazonas no ano passado, foi de portadores de TB/HIV.

A doença é curável desde que se faça o tratamento correto. “Qualquer pessoa com tuberculose pode ser atendida numa unidade de saúde e ter acesso a diagnóstico. E ainda que não haja laboratório na unidade de saúde ela pode ser orientada para coleta de material e a unidade encaminha para o laboratório de referência e a pessoa pode se tratar no mesmo local, e não mais apenas na unidade de referência Cardoso Fontes. E todos os municípios do interior tem programas de tuberculose e medicamentos disponíveis”, diz Garrido.

Blog

Deputado Luiz Castro, presidente da Frente Parlamentar da  Tuberculose, Aids e Hanseníase

“Cada vez mais principalmente essa mortalidade da tuberculose está cada vez mais associada à Aids. É preciso haver um trabalho integrado das pesquisas entre as duas doenças. Um dos nossos papéis é verificar as falhas que o poder público tem bem como reconhecer os méritos que não são expandidos por falta de maio. O que vemos em regra são pequenas equipes dedicadas mas para um universo de responsabilidade muito acima da sua capacidade operacional. Houve avanços, e o principal deles é a integração da Educação com a Saúde, tanto no âmbito dos municípios com o Estado, pois isso ajuda muito no diagnóstico, e que temos que partir para as faculdades e ampliar as equipes que integram o trabalho de articulação na Educação".

Em números

148

Foi o número de óbitos registrados no sistema de mortalidade do Amazonas no ano passado referente a casos de tuberculose. Foram 2.790 casos novos no Estado em 2016.

Dia Mundial de Combate a Tuberculose é tema de evento no Sumaúma Park Shopping

Começa nesta quarta (22) a exposição sobre Tuberculose, no Sumaúma Park Shopping. Realizada com o apoio da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), a ação tem como objetivo aproximar o tema da população. A mostra segue aberta no piso Japiim (1º andar), no horário de funcionamento do shopping, até o dia 24 de março, quando é celebrado o Dia Mundial de Luta de Combate a Tuberculose. 

Meios de transmissão, sinais, sintomas e formas de tratamento, são apenas algumas das dúvidas que poderão ser esclarecidas durante o período em que a exposição estiver no shopping da Cidade Nova. Vale lembrar que uma equipe multidisciplinar da FVS-AM estará à disposição dos clientes, para a realização de exames para o diagnóstico da Tuberculose.

Para o superintendente do Sumaúma, Cláudio Voso, a exposição é grande importância e vai ajudar a população a se informar sobre o tema. “Na maioria das vezes as pessoas podem confundir os sintomas. E, poder esclarecer o que é a doença, como prevenir ou tratar, é algo muito importante. Trazer este tipo de exposição para o Sumaúma nos deixa felizes, principalmente, pelo fato de poder oferecer aos clientes esse tipo de assistência relacionado à saúde”, ressaltou.

Serviço

Exposição sobre Tuberculose no Sumaúma Park Shopping
Quando: de 22 ao dia 24 de março. De 10h às 22h
Onde: Piso Japiim (1º andar)
Aberta ao público

Publicidade
Publicidade