Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

Tudo que você precisa saber sobre distúrbios funcionais do sistema mastigatório

O Prof.Dr.Lioney Nobre Cabral esclarece em entrevista as principais dúvidas sobre os distúrbios da articulação têmporo-mandibular (ATM) 28/08/2017 às 16:53
Show 1265030
Foto: Aguilar Abecassis
Mayrlla Motta Manaus (AM)

O Prof.Dr.Lioney Nobre Cabral esclarece em entrevista as principais dúvidas sobre os distúrbios da articulação têmporo-mandibular (ATM), além de abordar como podemos identificar o problema e resolvê-lo. 

Quais são os distúrbios da ATM?

São todos os distúrbios funcionais do sistema mastigatório, considerando as alterações musculares, articulares, assim como a influência do Sistema nervoso, dos órgãos internos e do psiquismo. Esta desordem, quando acomete os músculos da mastigação, pode gerar dores fortes na cabeça (semelhante a um quadro de enxaqueca), face (similar a uma sinusite aguda), orelha (simulando uma otite aguda), nuca, nos olhos e também dentes, mesmo que eles não estejam cariados, simulando uma inflamação de sua polpa (nervo ). Além de alteração na visão, zumbidos, sensação de orelha entupida e vertigem ou tontura, simulando uma labirintite.

Onde mais pode gerar alterações?

 Pode gerar também alterações de músculos de contiguidade, como os músculos do pescoço, costas, peito, quadril, gerando sintomatologias distantes do seu local de origem e muitas vezes não identificadas pelo profissional de saúde, dificultando o diagnóstico da condição. Grande parte das disfunções temporomandibulares tende a ser primariamente de origem muscular, isso ocorrendo devido a múltiplos fatores: oclusão inadequada, trauma local, alterações de postura, alto grau de ansiedade e/ou tensão nervosa que podem concorrer para atividades parafuncionais como o apertamento e/ou bruxismo (hábito de ranger os dentes).

Esses estímulos podem contribuir para o surgimento de pontos dolorosos?

Esses estímulos levam à disfunção da musculatura mastigatória, levando-as a contrações involuntárias e, principalmente, a uma alteração metabólica que concorre para o surgimento nestes músculos, de pontos dolorosos, denominados pontos gatilhos, que geram dor, não no local onde se encontram, mas à distância e também alterações articulares secundárias.

Além dessas alterações onde mais elas podem ser apresentadas?

A instabilidade da ATM pode estar também relacionada com alterações da anatomia normal desta articulação, como o deslocamento do disco articular ( disco que se interpõe entre o condilo, que movimenta o osso mandibular, e a fossa articular ) ou condições artríticas ( inflamação nesta articulação que movimenta a boca).

Quais são os sintomas ?

A queixa principal de grande parte dos pacientes é a dor de cabeça ao acordar, que não melhora com o uso de analgésicos comuns. Associado à dor, sensação de fadiga, cansaço muscular e tontura podem estar presentes, nem sempre havendo alteração perceptível da abertura da boca.   

Outros são encaminhados por Otorrinolaringologistas com otalgias, zumbidos, sensação de plenitude auricular e vertigens, cuja abordagem específica não identifica razão otológica, destaco aqui a expertise clínica do Dr. José Marques Pina Júnior, meu parceiro nesta abordagem multidisciplinar há anos. Dor em torno dos olhos ( podendo estar presente alteração da visão), na nuca, no peito, na garganta com ou sem  sensação de engasgo e até mesmo sensação de dormência ou dor nos braços até os dedos, podem também estar presentes e relacionados à condição quando há comprometimento da musculatura cervical anterior e posterior ( músculos anteriores e posteriores do pescoço). Não raro, algumas condições evoluídas desta desordem podem gerar dores musculares sistemáticas semelhantes à fibromialgia e em alguns casos, relacionados a alterações de bases psíquicas, podem até tornar-se esta condição reumática.

Quais tipos de tratamentos são indicados aos pacientes?

O Sistema mastigatório é uma unidade complexa neuromuscular que desempenha as funções de mastigação, deglutição e fala e, como já dito anteriormente, fatores podem concorrer para sua desordem, inclusive os de natureza psicogênica. Diante disso, é fundamental a avaliação amiúde do paciente e, a partir da identificação da(s) possível(is) causa(s)  por, necessariamente, não ser um fator só a concorrer para a quebra da tolerância fisiológica do indivíduo e configuração da DTM, se estabelece o tratamento.

Qual a melhor abordagem para o tratamento?

Este envolve, dentre outros, desde a utilização  de medicamentos, aparelhos neuromusculares (placas miorrelaxantes),  fisio e termoterapias locais ,  laserterapia de baixa intensidade, estes associados ou não a  tratamento psicológico ou mesmo psiquiátrico, até a utilização de toxina botulínica na musculatura comprometida e abordagem cirúrgica, em alguns casos, quando há comprometimento primário ou secundário intra-articular onde o tratamento clínico não obteve sucesso.    

Publicidade
Publicidade