Publicidade
Cotidiano
Notícias

UEA investiga morte de estudante encontrado em caixa d’água

Comissão de professores vai apurar cinscuntâncias do óbito do estudante de medicina achado dentro do depósito de água da unidade, localizada em Manaus. Polícia também investiga o caso 15/12/2014 às 11:49
Show 1
Sindicância divulgará resultado de apuração no prazo de 30 dias. Caixa d'água foi limpa após a descoberta do corpo
VINICIUS LEAL E PERLA SOARES Manaus (AM)

O reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Cleinaldo de Almeida Costa, afirmou durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira (15) que uma sindicância será iniciada para investigar as circunstâncias da morte do estudante Dalmir Albuquerque Costa Júnior, de 23 anos, encontrado morto dentro de uma caixa d’água no terraço da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA), em Manaus, na tarde do último sábado (13).

Uma comissão formada por professores da própria ESA será responsável por apurar os fatos no prazo de 30 dias e, após a conclusão das investigações, poderá haver responsabilização das partes envolvidas no óbito do rapaz. De acordo com Cleinaldo, a unidade de Saúde não possui câmeras de segurança e por isso o momento que antecedeu a morte do jovem não foi registrado.

Cleinaldo informou, também, que a caixa d’água onde Dalmir foi encontrado em óbito é de difícil acesso. O depósito de águas fica no terraço do prédio, que tem cinco andares. Segundo ele, a partir do 5º andar não é permitido a circulação de pessoas devido a uma obra no local. Ainda conforme Cleinaldo, para chegar à caixa d’água Dalmir teve que passar por uma escada e ultrapassar janelas.

Além da UEA, a Polícia Civil abriu uma investigação no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde o caso foi registrado por familiares. Dependendo do resultado da necropsia no corpo de Dalmir no Instituto Médico Legal (IML), as diligências podem ser encaminhadas a uma delegacia especializada. O reitor da UEA reforçou que vai esperar a conclusão dos trabalhos dos policiais.

Dalmir estudava no 6º período do curso de medicina da UEA e não tinha histórico de depressão. De acordo com familiares, o jovem era uma pessoa alegre, dedicada aos estudos e ao skate. Os parentes descartam suicídio e acreditam que a morte dele tenha sido um acidente, já que o acadêmico costumava frequentar com outros estudantes o terraço do prédio da ESA para apreciar a vista.

Desaparecido

Dalmir havia saído de casa no final da tarde de sexta (12) para um passeio de carro e foi à casa de um amigo, no bairro Cachoeirinha, próximo à ESA – localizada na avenida Carvalho Leal, mesmo bairro. Segundo o irmão da vítima, Daniel de Souza Costa, Dalmir chamou o amigo para ir ao terraço, porém o amigo recusou o convite alegando ter um compromisso, e Dalmir foi sozinho.

Na manhã de sábado, o amigo percebeu que o carro de Dalmir ainda estava em frente à casa dele e, preocupado, alertou a família, que se deslocou até o local. Lá, o amigo de Dalmir comentou com a família sobre a intenção do estudante de ir ao terraço, o que levou a família a ir até a ESA. Na unidade, os funcionários já haviam encontrado o corpo do jovem na caixa d’água.

Impedidos

Os familiares disseram à reportagem que foram impedidos de subir até a caixa d’água pelos funcionários da UEA. Segundo eles, o segurança da faculdade informou que o local havia passado por um conserto de um cano quebrado no sábado (13), e que o mecânico hidráulico responsável pelo serviço encontrou a mochila, carteira, dinheiro, roupas e sapato de Dalmir, mas não olhou na caixa d’água.


Publicidade
Publicidade