Publicidade
Cotidiano
NOVA GESTÃO

Perto dos 110 anos, Ufam ‘abre as portas’ e destaca projetos para desenvolver o Estado

Algumas novidades divulgadas foram novas instalações para os cursos de Medicina, Odontologia e Letras. Além disso, adiantou que está nas tratativas para a instalação de um posto policial no campus da capital 03/05/2018 às 21:03 - Atualizado em 04/05/2018 às 09:08
Show ufam
Foto: Arquivo AC
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Prestes a completar 110 anos, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) “abriu as suas portas” na manhã desta quinta-feira (3) para mostrar alguns dos seus projetos. A intenção foi divulgar para a imprensa parte do que a instituição vem produzindo nos últimos anos, além de reforçar para a sociedade seu papel estratégico no desenvolvimento do Estado e da região.

O reitor Sylvio Puga apresentou novidades, como novas instalações para os cursos de Medicina, Odontologia e Letras. Ele também revelou que está em tratativas para a instalação de um posto policial no campus da capital, uma antiga reivindicação da comunidade acadêmica. Os desafios da instituição também foram abordados por Sylvio Puga em conversa com jornalistas hoje na recepção do evento “Imprensa VIP”, promovido pela assessoria de comunicação da Universidade (Ascom/Ufam) em parceria com o “Programa VIP”, de extensão universitária, que há dez anos leva visitantes para conhecer as atividades da Ufam.

Sylvio Puga anunciou que pretende transformar a atual assessoria de comunicação da Ufam, vinculada diretamente à reitoria, em uma agência de notícias de toda a universidade, para divulgar as produções em uma linguagem mais acessível.

Um acordo de cooperação com a Polícia Militar está sendo costurado, segundo o reitor, para a instalação do posto policial, como forma de dar mais segurança a professores e alunos, que relatam freqüentes casos de roubos e outros crimes no campus. “O acordo vai prever uma atuação mais intensiva deles em relação às questões que envolvem o campus. Eles já trabalham conosco nos apoiando, mas essa cooperação precisa ser aprofundada com um posto policial ou local próprio, algo mais fixo”, disse para A Crítica.

Estão em elaboração projetos como a nova sede da Faculdade de Letras, a modernização do prédio de Medicina (que vai crescer verticalmente), a de Odontologia (que vai sair da rua Airão, na Praça 14 de Janeiro e passará a funcionar no campus universitário) e um prédio próprio para a de Psicologia.

Se por um lado há ações e objetivos sendo alcançados, há também desafios inerentes à qualquer grande instituição. Conforme Sylvio Puga, os problemas existem, não estão sendo escondidos e a universidade está buscando resolvê-los. “Nosso grande desafio é trabalharmos para elevarmos nosso conceito junto à graduação e pós-graduação. Na graduação, nosso Índice Geral de Cursos (IGC), pelo MEC é nota 3, uma nota boa, mas o máximo é 5 e temos que trabalhar para que nas próximas avaliações cheguemos pelo menos a 4 nesse ano ou no próximo”, detalhou o reitor.

Outro grande desafio é manter uma instituição gigantesca com um orçamento “apertado”, num estado com infinitas particularidades, como a complicada e cara logística. “Temos muitas demandas internas, todas justas e corretas. Nosso orçamento é de R$ 650 milhões, sendo R$ 120 milhões para custeio da manutenção. E mais da metade é comprometido com a folha de pessoal. Já fazemos com o que temos, mas o que precisamos é ter uma realidade orçamentária que suporte essa realidade”, disse  Sylvio Puga.

Projetos em destaque

 Entre os projetos em desenvolvimento na Ufam, quatro deles mereceram destaque especial em uma apresentação especial feita hoje pela manhã. Um deles é o Ufam Makers, desenvolvido no âmbito do Instituto de Ciências Exatas (ICE) e sendo um espaço que viabiliza a construção de projetos alternativos com as estações de trabalho e as ferramentas necessárias que auxiliam na resolução criativa de problemas e desafios enfrentados em sala de aula.

Destaque também foram a Feira da Agricultura Familiar  (Agroufam), promovida pelo Núcleo de Socioeconomia da universidade e as dependências do Centro de Desenvolvimento Empresarial e Tecnológico (Cdtech) e do Laboratório de Pesquisa de Combustíveis (Lapec).

Comunidade e cursos

A Ufam oferece  118 cursos de graduação e 61 de pós, entre especializações, mestrados e doutorados. São 23 unidades acadêmicas, sendo 18 na capital. Além dos municípios que sediam os campi, a Ufam atende a mais de 51 cidades do Amazonas e os estados do Acre, Roraima e Pará.

Entre os estudantes de cursos regulares de graduação ministrados em Manaus e no interior e dos cursos de graduação conveniados, a universidade reúne cerca de 37 mil estudantes. Dos graduandos, conforme o reitor, 70% são oriundos de escolas públicas.

Nos cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) e lato sensu, são mais de 3 mil discentes. Fazem parte desta comunidade os mais de 1.280 docentes e 1.725 servidores técnicos.

Publicidade
Publicidade