Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
MALÁRIA

Unidades móveis para diagnóstico da malária irão fazer atendimento na zona rural

Em 2015, a capital amazonense notificou 8.503 casos de malária, fechando o ano com 54% de aumento de notificações em relação ao ano de 2014, que obteve registro de 5.515 novos casos



show_62f85b51-9e61-4e71-88e5-ecd6cd389424.jpg Os laboratórios itinerantes estão equipados com microscópios para a coleta de lâmina e realização do diagnóstico tanto para malária quanto para leishmaniose, doenças que podem ser identificadas com o uso da mesma metodologia de investigação (Foto: Divulgação)
20/05/2016 às 07:00

As unidades móveis para o diagnóstico da malária e leishmaniose prestarão atendimentos na comunidade Nossa Senhora de Fátima, na zona Rural de Manaus, a partir desta sexta-feira (20). As unidades são integradas ao conjunto de estratégias de controle de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e permitem a ampliação do acesso da população aos exames para tornar mais precoce o início do tratamento, beneficiando principalmente os moradores de comunidades mais distantes, onde ainda não há laboratórios específicos para a investigação das duas doenças.

Os laboratórios itinerantes estão equipados com microscópios para a coleta de lâmina e realização do diagnóstico tanto para malária quanto para leishmaniose, doenças que podem ser identificadas com o uso da mesma metodologia de investigação, além de serem refrigeradas e contar com o auxílio de um gerador de energia para possibilitar a oferta do serviço, inclusive em locais em que não há abastecimento de energia.

O incremento das capacidades técnicas do programa municipal de controle tem importância estratégica para Manaus, uma vez que a cidade tem áreas endêmicas, naturalmente favoráveis à presença do mosquito transmissor, que tem como habitat áreas com floresta, rios, altas temperaturas e umidade, o que, aliado à conjuntura socioeconômica de grande parte da população e às expansões e ocupações desordenadas de moradia, propicia maiores riscos de transmissão e aumento na ocorrência de casos da doença.

Em 2015, a capital amazonense notificou 8.503 casos de malária, fechando o ano com 54% de aumento de notificações em relação ao ano de 2014, que obteve registro de 5.515 novos casos. Observando esse acréscimo, desde outubro de 2015 a Secretaria Municipal de Saúde tem se empenhado nas metas do Plano de Intensificação das Ações de Prevenção e Controle da Malária em áreas prioritárias por meio do planejamento, monitoramento e avaliação nas zonas Leste, Oeste e Rural do município, a fim de reduzir a incidência de casos de malária em Manaus.

Manaus conta com a maior rede de diagnóstico de malária do Brasil, com 62 unidades preparadas para a realização do exame, incluindo as unidades móveis de diagnóstico. O tratamento é oferecido gratuitamente e entregue ao paciente imediatamente após a confirmação.

*Com informações da assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.