Publicidade
Cotidiano
Carnaval 2017

Unidos do Alvorada vem mostrando o Nordeste brasileiro no desfile deste ano

Terceira a desfilar no dia 25 de fevereiro, ela apresentará o enredo "Meu ‘Padim’... Abençoai esse povo guerreiro filhos do chão rachado do nordeste brasileiro”. O tema, que vez por outra permeia os desfiles pelo País, sempre causa impacto e “funciona” como elemento emocionante para o público. 31/01/2017 às 05:00
Show alvorada1
Desfile do ano passado da escola de samba Unidos do Alvorada / Fotos: Euzivaldo Queiroz e Aguilar Abecassis
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Escola de samba vizinha ao Sambódromo, a Unidos do Alvorada vai homenagear o nordeste brasileiro com o enredo: “Meu ‘Padim’... Abençoai esse povo guerreiro filhos do chão rachado do nordeste brasileiro”. O tema, que vez por outra permeia os desfiles pelo País, sempre causa impacto e “funciona” como elemento emocionante para o público.

“Já começamos os nossos trabalhos e a expectativa é muito grande em relação a esse grande enredo onde nós estamos fazendo uma homenagem a todos os nordestinos, os filhos do Nordeste. Esperamos fazer um grande Carnaval dia 25 no Sambódromo e que possamos sair com esse título inédito para a nossa comunidade. Se Deus quiser tudo vai dar certo dentro das possibilidades da Unidos da Alvorada”, explica Heroldo Linhares, presidente da agremiação da Zona Centro-Oeste que será a terceira a se apresentar pelo Grupo Especial, dia 25 de fevereiro, de 22h40 a 23h50.
Sobre o orçamento, o dirigente destaca que fazer um Carnaval como a Unidos do Alvorada quer custa muito caro, e requer, claro, todo um planejamento financeiro, com pé no chão. “Mas existe um grande orçamento para fazer um desfile em torno de R$ 600 mil, mas não sabemos se vamos ter todo esse dinheiro. Mas, com absoluta certeza, faremos um Carnaval digno da nossa escola de samba, digno de disputar um título”, acrescenta o dirigente azul e branco.

Comissão azul e branca

Uma Comissão de Carnaval será responsável por executar os trabalhos de criação de carros alegóricos e fantasias na Unidos do Alvorada, sendo formada por Edmundo Martins, Renato Silva, Jorge Ricardo Silva e Carlinhos. “Não há um diretor de Carnaval ou carnavalesco. Todos nós trabalhamos em conjunto em prol da escola juntamente com o presidente Heroldo”, comentou o artista Edmundo Martins. 

Raio-x da escola

A escola de samba vai desfilar com uma média de 2.500 brincantes distribuídos em 15 alas. A bateria comandada pelo competente Mestre Saúba trará 250 ritmistas e o intérprete do samba-enredo será novamente Auzier do Samba, com sua voz inconfundível. A ala musical é composta por oito pessoal com a direção de Toninho Sá, Wagner Oliveira e Rônei Cruz. A Rainha de Bateria é Maylin Menezes, ex-Rainha da Escola e que já participou do reality “Peladão a Bordo” da TV A Crítica (que transmite o desfile do Grupo Especial de Manaus). A Madrinha de Bateria é Katiely Muniz e a Musa Maria Aparecida.

A Alvorada vai desenvolver seu enredo sobre Nordeste em uma apresentação dividida em três partes. O primeiro setor vai falar sobre a fé, crenças e tradição, baseado no tema onde se exalta muito o Padre Cícero, um dos personagens religiosos do Nordeste e que será figura principal do desfile. Na sequência, o segundo setor a ser apresentado será o enfocando a arte, como na colunária, trabalhos artesanais, literatura de cordel, música esporte e humor. A Unidos do Alvorada vai encerrar seu passeio nordestino com as festividades, retratando as quadrilhas, bumba-meu-boi, carvalhadas e outras culturas tradicionais do Nordeste.

José Aldo pode pintar no desfile

O lutador  amazonense de UFC (Ultimate Fighting Championship), José Aldo, pode ser uma das surpresas da Unidos do Alvorada para o desfile deste ano. “Ele ainda está verificando se poderá estar em Manaus para o desfile. Vamos aguardar”, limitou-se a dizer o presidente Heroldo Linhares.

José Aldo foi o tema da Unidos do Alvorada em 2014. O desfile foi sob um dos maiores temporais que o Carnaval amazonense já sofreu em todos os tempos, praticamente com chuva do início ao fim, mas com uma enorme animação por parte do lutador, brincantes e torcedores nas arquibancadas do Sambódromo.

Naquele ano todas as oito escolas do Grupo Especial foram declaradas campeãs por 7 votos a 1, sob protestos da Reino Unido da Liberdade, que não concordou com a decisão.
Votaram a favor de se dividir o título os presidentes da Andanças de Cigano, Unidos do Alvorada, Grande Família, Balaku Blaku, Aparecida, Sem Compromisso e Vitória Régia. Os motivos alegados pelos dirigentes foram, além de prejuízos com a chuva, também problemas financeiros e com a Justiça do Trabalho.

Em números

2.500

É o número de integrantes da Escola de Samba Unidos do Alvorada, da Zona Centro-Oeste da cidade, que é vizinha ao galpão e Centro de Convenções, o Sambódromo”

Publicidade
Publicidade