Publicidade
Cotidiano
MANIFESTAÇÃO EM BRASÍLIA

‘Vagabundos têm que entrar na peia’, diz deputado do PMDB sobre manifestantes

Parlamentar disse que Temer, ao convocar as forças armadas, agiu como em 1964 para “defender a democracia” e que Eduardo Cunha “salvou” o Brasil 25/05/2017 às 11:20 - Atualizado em 25/05/2017 às 13:06
Show 11 vicente lopes pmdb em 13 571x381
(Foto: Divulgação/Aleam)
acritica.com

O deputado estadual pelo PMDB do Amazonas, Vicente Lopes, classificou de “vagabundos” os manifestantes que depredaram órgãos públicos em Brasília, disse que os participantes do protesto “tem que entrar na peia mesmo” e sustentou que o presidente Michel Temer fez bem ao convocar as forças armadas “para defender a democracia, assim como fizeram em 64”. As declarações do parlamentar foram dadas em discurso, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM), na manhã desta quinta-feira (25).     

“Se nós ontem tivemos as forças armadas nas ruas é exatamente para assegurar o direito daqueles que saem das suas casas para trabalhar e tem o direito de voltar sem ser molestado. Aí chama de manifestação pessoas que saem de casa para incendiar ministérios? Pessoas que saem de casa para criar o caos? Não são trabalhadores, são vagabundos que tem que entrar na peia mesmo. E o presidente da República faz muito bem em convocar as forças armadas para defender a integridade física do cidadão trabalhador. O presidente da República faz muito bem ao convocar o Exército para defender a democracia, assim como fizeram em 64”, discursou Vicente Lopes.    

Ele se mostrou indignado com o discurso anterior, do petista José Ricardo Wendling, que voltou a classificar de “golpista” o governo Michel Temer.  “O que de fato é golpe? É trazer uma proposta para a população, mentir para o povo em troca de uma eleição? É deixar 14 milhões de desempregados? Ter a sua campanha vitoriosa financiada com dinheiro de corrupção? Ter todos os seus aliados, dentre os quais os companheiros do PMDB, envolvidos na Lava Jato? PT, PMDB, e aqui eu não passo a mão na cabeça de ninguém”, afirmou Lopes.

De acordo com ele, o Brasil está testemunhando “a situação que levaram o País”, em referência aos governos Lula e Dilma. “Eu não sou daqueles que por ser do meu partido eu o isento de responsabilidade não”. O parlamentar ainda criticou o acordo de delação premiada da JBS e ainda sustentou que o ex-deputado federal Eduardo Cunha “salvou” o Brasil. 

“Os criminosos da JBS que fizeram essa delação e, acredito eu, a serviço de alguém, e que receberam do MPF imunidade para os seus crimes, e eu diria que o MPF é complacente, conivente com essa situação, a não ser teria que fazer a mesma situação para o Eduardo Cunha. O Eduardo Cunha cometeu os seus crimes, todos nós sabemos disso, mas o Eduardo Cunha merece ser reconhecido como o homem que salvou o Brasil de ser transformado numa Venezuela. Porque era esse o caminho que o PT ia nos levar”, acusou.

“Tenho muito medo dos que são donos da verdade, daqueles que acham que podem comprar tudo e todos, e só são ‘ladrão’ os outros. O que a Lava Jato está fazendo é passando o Brasil a limpo e eu espero que continue sem isentar e sem minimizar a responsabilidade para quem quer que seja”, afirmou Vicente Lopes.                       

Publicidade
Publicidade