Publicidade
Cotidiano
Notícias

Vazante do Rio Negro está mais lenta em relação ao ano passado

Nos últimos dias, o nível de descida das águas foi de 1 cm apenas, mas isso não indica o fim da temporada de seca do rio 05/11/2013 às 08:24
Show 1
Comportamento de descida do rio Negro é atípico, mas, segundo especialistas, nada indica que isso pode causar uma grande enchente em 2014
Jéssica Vasconcelos Manaus, AM

Nesta segunda (4), o nível do rio Negro estava 2,25 metros acima da marca registrada no mesmo dia do ano passado. Segundo dados do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), a medição do rio marcou 19,35 metros, enquanto na mesma data no ano passado o nível era de 17,10 metros.

De acordo com gerente de hidrologia da CPRM, Daniel Oliveira, a vazante máxima de 2012 ocorreu no dia 27 de novembro com 15,96 metros, portanto o rio continuará baixando até pelo menos o final do mês.

O gerente alerta que apesar de estar baixando em um nível mais lento, 1 cm nos últimos dois dias, ainda não é possível prever se haverá uma grande enchente no próximo ano. O primeiro alerta sobre a enchente de 2014 será feito pelo órgão no fim do mês de março quando vai ser possível prever como será de fato o fenômeno.

Para Daniel é preciso aguardar mais alguns dias para definir se já iniciou o período de enchente, para isso o órgão continuará realizando o monitoramento semanal da subida do rio.

Climatologia
As chuvas atípicas registradas no mês de setembro pode ser considerado um dos fatores que está influenciando a descida anormal do rio Negro.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Metereologia (INMET) em setembro verificou-se chuvas acima da média em algumas regiões do Amazonas, o que pode ter contribuído para a vazante não ter sido grande. No mês de outubro as chuvas ficaram dentro do padrão climatológico em praticamente toda a região, sendo até abaixo da média em algumas áreas

De acordo com metereologista Gustavo Ribeiro a previsão é que as chuvas permaneçam dentro do normal para o período de transição da estação seca para a estação chuvosa e, portanto não exerçam total influência na continuação da vazante.

O relatório de monitoramento do CPRM indica que até o dia 8 de novembro existe a possibilidade de um grande volume de chuva principalmente nos estados do Amazonas, Mato Grosso, Acre e Rondônia. No período de 09 a 17 de novembro indica possibilidades de manutenção no padrão das chuvas sobre grande parte da região, com deslocamento para áreas mais a leste, podendo influenciar os registros sobre o estado do Pará e sul do Tocantins.

Especialista vê normalidade
Para o engenheiro do Porto de Manaus, Valderino Pereira, que há 20 anos realiza a medição diária do nível do rio Negro no porto de Manaus, a vazante do rio está dentro da normalidade e nada indica que haverá uma grande enchente no próximo ano.

Valderino lembra que em outros anos o rio também baixou de forma lenta e a enchente aconteceu dentro da normalidade. Segundo Valderino os registros indicam que em 1978 a vazante do rio atingiu 20,12 metros e no ano seguinte a enchente chegou somente a 28,73 metros.

Valderino tem a responsabilidade de medir e anotar a leitura hidrográfica do rio em uma régua posicionada na área portuária, atividade que desenvolve há bastante tempo e que serve como base para órgãos como CPRM, que é a partir de suas anotações que análises sobre o nível das águas são desenvolvidas.

Com o rio baixando em ritmo lento, quem perdeu foram os banhistas, pois as praias de Manaus estão menores.

Publicidade
Publicidade