Publicidade
Cotidiano
Notícias

Veja as vantagens de comprar, alugar e investir em Miami

Miami completa sete anos como um dos lugares preferidos do manauara para investir em imóveis. Confira as vantagens de ter um lar na “Terra do Tio Sam”  13/12/2014 às 17:27
Show 1
Há anos Miami encanta os manauaras. A proximidade, a segurança da cidade, o preço dos imóveis e as opções de lazer atraem os investidores desde 2007
juliana geraldo ---

Belas praias, opções de compras, lazer, vida noturna. Estes são alguns dos motivos que levam os amazonenses, todos os anos, a entrar em um voo internacional com destino a Miami, na Flórida. Além de ponto turístico, o destino internacional mais querido entre os manauaras completa sete anos como uma excelente opção de investimento no setor imobiliário e em 2015 não deve ser diferente. Seja para comprar, morar ou alugar, quem sonha com um imóvel em terras norte-americanas vai continuar apostando em Miami.

DINHEIRO conversou com alguns profissionais experientes do mercado imobiliário e que há anos trabalham para facilitar a aquisição de casas ou apartamentos na “Terra do Tio Sam”, principalmente no litoral. Eles falaram das vantagens, das condições para fechar o negócio e afirmam que, apesar de um cenário econômico “morno”, o interesse deverá se manter bem aquecido. Cenário favorávelO presidente da One Premier International Realty, Paulo Simonetti, é um dos profissionais que atua neste disputado mercado. Há 25 anos ele comanda a empresa, sediada em Coral Gables, e negocia imóveis para brasileiros e norte-americanos em localidades como Miami, Fort Lauderdale e Orlando.

Ele lembra que desde 2007, com o “estouro” da bolha imobiliária nos Estados Unidos, a compra de imóveis se tornou viável para os brasileiros – sobretudo, os manauaras. Com preços baixos, o sonho de muitos amazonenses deixou de ser passar férias em hotéis na Flórida, e sim, passar férias em sua própria casa.

“O Amazonense gosta muito de viajar e Miami se torna uma boa opção porque é próxima a Manaus, dispõe de bons preços em passagens aéreas e voos diretos. Também é uma cidade segura, bonita e fácil de viver. Todos esses pontos pesam na hora da decisão, atraindo os investidores”, justifica.

Outro fator, segundo Simonetti, é a facilidade para a compra de um imóvel nos Estados Unidos. É preciso apenas o passaporte, visto em ordem (mesmo que seja de turista) e não é necessário ter a cidadania americana ou o Green Card.

O preço também é atrativo. Segundo o corretor, paga-se em média US$ 360,3 mil por um apartamento com dois quartos. “Não é à toa que o negócio não para de crescer. Para atender a demanda tanto de brasileiros quanto dos próprios norte-americanos, mais de 170 projetos novos estão em andamento no sul da Flórida”, exemplifica.

Menos burocraciaO proprietário da Algebra Realty, José Augusto Nunes, também atua neste mercado. Com 50 anos no setor imobiliário e 28 anos dedicados exclusivamente ao trabalho com imóveis nos Estados Unidos, ele acredita que, de fato, são os preços que cativam os investidores. “Mesmo com o dólar alto, comprar uma imóvel em Miami é mais barato do que adquirir algumas das unidades novas no bairro da Ponta Negra, por exemplo”, compara.

Ele acredita também que a disparada de preços, nos últimos anos, em apartamentos e casas de regiões litorâneas, como Fortaleza e Rio de Janeiro, propiciaram o deslocamento de interesse do Manauara para Miami e Orlando, na Flórida. “Também é menos burocrático. Na Flórida, um imóvel pode ser comprado com uma entrada entre 30% e 40% e o saldo é financiado em até 30 anos, com juros iniciais anuais de menos do que 5%”, detalha.

Compra no exterior requer cautela

A vice-presidente do Sindimóveis-AM, Jane Picanço, dá dicas para fechar o negócio no exterior sem sustosA vice-presidente do Sindicato de Imóveis do Estado do Amazonas (Sindimóveis-AM),Jane Picanço Farias, lembra, porém que, apesar de chamativo, investir no exterior exige alguns cuidados. O primeiro dele, de acordo com ela, é justamente a escolha do profissional que fará o trâmite de compra, venda ou locação. “É muito importante que este corretor seja credenciado e tenha referências. Afinal, se já é trabalhoso fechar um negócio na mesma cidade, imagina a quilômetros de distância! Um profissional confiável é essencial”, aconselha.

Além da escolha do corretor ou empresa de corretagem, Jane pede cuidado redobrado para questões como documentação do imóvel – que deve ser adequada ao tipo de negociação – hipoteca e condições de financiamento. “Também é interessante ter uma pessoa de confiança para ser o intermediário nas negociações. Até mesmo porque é necessário fazer depósitos em alguns casos. A dica é deixar tudo registrado, de documentos em cartório a e-mails arquivados”, orienta.


Publicidade
Publicidade