Publicidade
Cotidiano
CONVERSAS

Veja tem acesso a áudios com discussões entre ex-ministro e Jair Bolsonaro

Chamado de mentiroso pelo filho do presidente, Gustavo Bebianno recebeu ordens para cancelar compromissos e discutiu se falar via Whatsapp era, de fato, conversar com alguém 19/02/2019 às 15:09
Show bebianno 80044c5b d070 45d6 bd06 333c493d6b57
acritica.com Manaus

A revista Veja revelou, em sua edição digital, áudios que mostram conversas entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno.  Nos áudios, os dois discutem sobre uma declaração dada por Bebianno de que teria falado com Bolsonaro por três vezes em meio à crise política provocada pela revelação de candidaturas 'laranjas' do PSL, partido de ambos.

Os áudios mostram que ambos, efetivamente, chegaram a conversar como afirmou o próprio Bebianno à imprensa.  Após a declaração do agora ex-ministro, Carlos Bolsonaro, filho do presidente,  chamou o ministro de 'mentiroso', dizendo que ele e o pai não teriam conversado.

Nas gravações obtidas pela Veja, com exclusividade, Bolsonaro questiona o ministro sobre um encontro com um executivo da Rede Globo e também sobre uma viagem que aconteceria para o Pará. Em ambos os casos, ele ordena que os compromissos sejam cancelados.

Posteriormente, já após Bebianno ter sido chamado de mentiroso por Carlos Bolsonaro, os dois discutem sobre o que significaria falar com alguém.  Para o presidente, aparentemente, conversar via Whatsapp não pode ser tratado como uma conversa de fato.  "Agora: você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem. Ele esteve comigo 24 horas por dia. Então não está mentindo, nada, nem está perseguindo ninguém”, diz Bolsonaro, em defesa do filho.

"Há várias formas de se falar. Nós trocamos mensagens ontem três vezes ao longo do dia, capitão. Falamos da questão do institucional do Globo. Falamos da questão da viagem. Falamos por escrito, capitão. Qual a relevância disso, capitão? Capitão, as coisas precisam ser analisadas de outra forma. Tira isso do lado pessoal. Ele não pode atacar um ministro dessa forma. Nem a mim nem a ninguém, capitão. Isso está errado. Por que esse ódio?", rebate Bebianno. 

"Ô, Gustavo, usar da… Que usou do Whatsapp para falar três vezes comigo, aí é demais da tua parte, aí é demais, e eu não vou mais responder a você", disse o presidente, conforme os áudios revelados, que ainda acusa o ex-ministro de vazar informações à veículos da imprensa em benefício próprio.  O ex-ministro, por sua vez, afirmou que o presidente estava sendo "bem envenenado".  "Depois a gente conversa pessoalmente, capitão, tá? Eu tô vendo que o senhor está bem envenenado. Mas tudo bem, a minha consciência está tranquila, o meu papel foi limpo, continua sendo".

Publicidade
Publicidade