Publicidade
Cotidiano
UNIDADES DE SAÚDE

Verão amazônico aumenta em 30% a procura por atendimento de doenças respiratórias

As patologias mais comuns são rinites, asma, dermatite, faringites, conjuntivites alérgicas, sinusite e até síndrome respiratória aguda grave 23/08/2017 às 14:53
Show capturar
Nos Serviços de Pronto Atendimento (SPA), a procura por atendimento por conta de problemas respiratórios aumenta (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Silane Souza Manaus (AM)

No verão amazônico, quando as altas temperaturas predominam, os Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) de Manaus registram um aumento de 30% na demanda relativa a atendimento das doenças respiratórias (gripes, resfriados, asma, entre outras), principalmente em crianças e idosos. Os dados são da Secretaria de Estado de Saúde (Susam). A situação é agravada pelo tempo seco como o que tem sido registrado nos últimos dias.

O diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque, explica que o mais preocupante não é tanto a alta temperatura, mas a queda na umidade relativa do ar, o que não ocorre muito aqui, como nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do País. Entretanto, ambos favorecem o aparecimento das viroses respiratórias e desidratação. Por isso é fundamental a ingestão de bastante líquido. “É extremamente importante, principalmente para as crianças”. 

O médico de Família e Comunidade Ricardo Amaral Filho, por sua vez, alertou para os cuidados com o intenso clima seco, já que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera estado de atenção quando a taxa de umidade relativa do ar está abaixo dos 30%, pois aumenta a poluição e favorece ainda o aparecimento de doenças cardiorrespiratórias, uma vez que causa o ressecamento das mucosas que servem como barreira contra os agentes infecciosos, o que leva a sangramentos nasais, ressecamento da pele e irritação dos olhos.

As patologias mais comuns, conforme ele, são rinites, asma, dermatite, faringites, conjuntivites alérgicas, sinusite e até síndrome respiratória aguda grave. A prevenção é simples: ingerir mais líquidos, fazer inalação e lavar o nariz com soro fisiológico. “Temos que umedecer as mucosas, buscar locais mais ventilados e observar crianças e idosos que tendem a sofrer mais, assim como os portadores de doenças crônicas”, salientou. 

O tempo seco também pode aumentar a incidência de dermatites atópicas e ceratoses (doenças de pele), portanto, vale a  orientação para as pessoas com a pele mais seca aplicarem hidratantes. 

Dicas de saúde

As dicas gerais, de acordo com Ricardo Amaral, são: ingerir pelo menos dois litros de água por dia; usar hidratante corporal, principalmente após o banho. Ainda segundo ele, com o ressecamento podem aparecer coceiras na pele, que devemos evitar coçar; evitar banhos demorados com água quente e locais totalmente fechados. É preciso manter a vacinação em dia; lavar o nariz com soro fisiológico; e espalhar toalhas molhadas na casa ou quartos para aumentar a unidade.

Recomendado

Pelos padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS), a umidade relativa do ar ideal é de 60%. Ontem, a umidade registrada em Manaus ficou entre 35% (mínima) e 65% (máxima), de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Hoje, a previsão é de 45% (mínina) a 80% (máxima). Já a temperatura vai variar entre 25°C (mínima) e 35°C (máxima).

O último domingo foi o dia mais quente em Manaus este mês, com 37°C e a sensação térmica de 39,7°C. Mas conforme o Inmet as temperaturas e umidade do ar estão dentro da normalidade para esta época do ano.

Publicidade
Publicidade