Publicidade
Cotidiano
PRESO

Vereador de Barreirinha é preso pela Polícia Civil por roubar gados no município

Jonas Augusto e um comparsa, Ronaldy “Jacaré”, praticavam ilegalmente o abate e transporte dos animais que, depois, seriam comercializados 28/03/2018 às 14:39 - Atualizado em 28/03/2018 às 14:39
Show 1522262260868398
Foto: Divulgação
acritica.com

A Polícia Civil do Amazonas prendeu na manhã desta quarta-feira (28), no município de Barreirinha, a 331 quilômetros de Manaus, o vereador Jonas Augusto de Souza Reis, de 36 anos, e Ronaldy Santos da Silva, 35, o "Jacaré", envolvidos em roubos e furtos de gados bovinos e búfalos naquele município. As prisões ocorreram durante ação policial na cidade.

De acordo com o delegado Jardel Oliveira, titular da 42ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), as prisões ocorreram em cumprimento de mandados de prisão, além de mandados de busca e apreensão nas residências dos infratores.

Conforme o delegado Mateus Moreira, diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), a ação teve o apoio da equipe de investigação da DIP de Parintins e, também, de policiais militares lotados de Parintins, municípi distante 369 quilômetros em linha reta de Manaus.

Conforme o titular da 42ª DIP, o vereador foi preso na manhã desta quarta (28), por volta das 8h30, na casa onde morava, situada na rua Paulino de Mello, no Centro de Barreirinha. A ordem judicial em nome de Ronaldy foi cumprida na rua Cinco de Janeiro, bairro Nova Conquista, naquele mesmo município.

“Iniciamos as investigações em torno de uma organização criminosa que estava praticando, ilegalmente, o abate e transporte de gados que, posteriormente, seriam comercializados. O crime estava prejudicando a economia local e causando danos à ordem pública. Durante as diligências, conseguimos lograr êxito na prisão do vereador e de Ronaldy”, explicou Jardel Oliveira.

O delegado de Barreirinha disse, ainda, que na residência de Jonas foram apreendidas duas espingardas, munições de diferentes calibres, cartões bancários, documentos pessoais, aparelhos celulares e, ainda, uma quantia não divulgada em dinheiro.

As ordens judiciais foram expedidas no dia 22 de março deste ano pela juíza Juliana Arrais Mousinho, substituta da Comarca de Barreirinha. Ao término dos procedimentos cabíveis, Jonas e Ronaldy serão conduzidos à carceragem da unidade policial, uma vez que a delegacia funciona como unidade prisional em Barreirinha.

Jardel Oliveira afirmou que as investigações em torno do caso devem continuar para identificar e prender outros indivíduos possivelmente envolvidos no esquema criminoso.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade