Publicidade
Cotidiano
Em Iranduba

Vereador de Iranduba se acorrenta a hospital e cobra novas ambulâncias

Segundo o vereador George Reis, o protesto foi motivado porque todas as ambulâncias do Hospital Hilda Freire estão no “prego” 24/10/2017 às 17:23 - Atualizado em 24/10/2017 às 18:09
Show vereador xxxx
O vereador George Reis (centro) encontrou apoio de usuários de saúde do hospital que simularam estarem acorrentados / Foto: Reprodução
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O vereador George Reis (PV) fez um protesto veemente na tarde desta terça-feira (24) ao acorrentar-se em uma das colunas que sustentam o Hospital Hilda Freire, no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus). O motivo é, segundo o parlamentar, a insatisfação com as condições das ambulâncias que servem aquela unidade de saúde que, de acordo com ele, estão paradas, no “prego”.

“Estou fazendo esse protesto silencioso de indignação porque o povo vem sofrendo com a falta de ambulâncias aqui neste hospital. São cinco ambulâncias e todas as cinco no prego. Há pessoas morrendo por causa desse descaso e essa situação é inadmissível”, comentou Reis, dizendo que só vai sair do local quando a situação for resolvida.

Ele cobrou providências do Governo do Estado e do prefeito de Iranduba, Francisco Silva Gomes, o “Chico Doido” que, de acordo com o parlamentar, deve cobrar do governador eleito Amazonino Mendes uma solução para o caso.

“O Governo do Estado e a Prefeitura devem olhar com mais carinho para Iranduba. O prefeito Chico Doido tem que ir atrás do governador e exigir para ontem uma ambulância. Ele tem que falar com o vice-governador Bosco Saraiva, com o secretário da Casa Civil do Estado e todos que foram eleitos pelo povo e que prometeram melhorias para Iranduba. Só aqui no município o governador recebeu 11 mil votos. Pessoas estão morrendo por falta de atendimento e o prefeito Chico Doido se cala. Eu exijo uma ambulância pois o povo não pode mais sofrer. Vou ficar aqui  até que se resolva essa situação”, garantiu George Reis.


Ambulâncias estão paradas no hospital aguardando manutenção. Foto: Sam Figueiredo/Divulgação 

Transporte feito em van

Ainda de acordo com o vereador, a situação é tão calamitosa que, nas emergências do Hospital Hilda Freire, o único veículo disponível era um carro modelo van cedido pela Colônia dos Pescadores de Iranduba que também teve problemas mecânicos.

“O transporte dos pacientes era feito numa Kombi que ficou no prego, após problemas no motor. O vice-prefeito cedeu a van da Colônia dos Pescadores emprestada para o hospital. Nós agradecemos a boa vontade dele, mas nós não precisamos de van e sim de ambulância . Precisamos de uma resposta do senhor governador Amazonino Mendes e do vice Bosco Saraiva. É inadmissível continuar assim. Cadê o direito do povo de ter uma ambulância? Onde fica nosso direito? Estamos abandonados pelo poder público municipal. Faço apelo à vossa excelência prefeito para que procure o governador”, reforça o vereador.

Mais ambulâncias quebradas

Outro problema ocorre no Cacau Pirêra, localidade de Iranduba: a UBS Vitória da Paz não possui, de acordo com a assessoria do vereador, nenhuma ambulância para os seus cerca de 2 mil habitantes. Há relatos que os problemas com as ambulâncias já duram cerca de 10 meses.

A dona de casa Nazaré Santos Silva, que mora no ramal Castanho, esteve nesta terça-feira (24) buscando atendimento no hospital, e relatou que as ambulâncias da unidade de saúde estão quebradas e por isso não estão atendendo a população.

Outro lado

A Secretaria Estadual de Saúde (Susam), sob nova gestão há 20 dias, por meio de sua assessoria de comunicação informa que já recebeu as unidades do interior com falta de ambulâncias. Um levantamento realizado pela gestão atual identificou problemas semelhantes em outros municípios, embora não tenha sido encontrado nenhum processo de aquisição de veículos para tal finalidade. A secretaria trabalha, no momento, para buscar uma solução no menor espaço de tempo possível, que passa pela manutenção das ambulâncias em condições de serem recuperadas ou a aquisição de novas, informa a assessoria. Enquanto esse processo ocorre - obedecendo à tramitação legal necessária -, as demandas emergenciais de municípios como Iranduba são atendidas pontualmente por ambulâncias das unidades da capital, conclui o órgão.

Publicidade
Publicidade