Publicidade
Cotidiano
Notícias

Vistorias em presídios do interior do Amazonas retornam em 2016

Dos oito presídios do interior, cinco já foram visitados e avaliados pela Seap. Saúde e segurança são principais pontos a serem solucionados 21/12/2015 às 12:14
Show 1
Vistoria no presídio de Coari apreendeu tesouras, drogas e dinheiro
ACRITICA.COM ---

Dos oito presídios do interior do Amazonas, cinco já foram visitados e avaliados pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio da Coordenação do Sistema Prisional (Cosipe).

Nas últimas semanas, Tabatinga, Tefé e Coari receberam o coordenador do sistema prisional em todo o Amazonas, Major Lima Júnior. Além das visitas para conhecer e verificar as condições atuais das unidades prisionais, o objetivo é fortalecer parcerias com as prefeituras e Polícia Militar (PM) para garantir atendimentos de saúde e segurança nas instalações.

“Hoje, em Coari, os 79 presos do regime fechado não recebem nenhum tipo de assistência médica na unidade. Quando tem alguém doente eles são direcionados para o hospital, mas isso não é o ideal porque o correto é que haja atendimento na unidade até por questões de segurança”, ressaltou Lima Júnior.

Em Coari, Lima Júnior se reuniu com o prefeito, Raimundo Magalhães, e com secretário adjunto de saúde, Ricardo Leite, para tentar fechar uma parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). A ideia é que a secretaria providencie a documentação e projeto para receber a verba do Ministério da Saúde destinada a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP).

Ambos se colocaram à disposição para ajudar e dar assistência aos presos. “Nós temos interesse de ajudar e em breve já vamos designar uma equipe de saúde para iniciar este trabalho”, disse Magalhães. Uma sala da unidade, a partir de janeiro, deve receber os equipamentos básicos de enfermaria. O prefeito também se comprometeu em ceder um terreno para a construção de um novo presídio.

Para Lima Júnior, a saúde tem sido o ponto fundamental nas discussões com autoridades, porque o município recebe recursos federais para trabalhar em presídios. No entanto, muitas vezes essa verba não tem sido aplicada pela falta de conhecimento técnico. “Não pode se aplicar de maneira errada e nem pode deixar de aplicar, por isso precisamos ir atrás dessa verba e prestar esclarecimentos sobre a aplicação”, disse Lima Júnior

O coordenador também determinou mudanças nos procedimentos administrativos e operacionais em todas as unidades do interior que visitou. “Nós estamos corrigindo falhas para evitar problema”, disse. “A ideia é padronizar os serviços, atendimentos e procedimentos de segurança”, informou. A Polícia Militar (PM) de Coari também assumiu o compromisso de prestar apoio às escoltas e a guarda externa da unidade.

Tefé

Antes de visitar Coari, o coordenador do sistema esteve em Tefé, onde também realizou um procedimento de revista preventiva nas cinco celas masculinas e na ala feminina. Da direção, serão cobrados ajustes que tornem eficiente o funcionamento da unidade.

A coordenadora da atenção básica de saúde, da secretaria municipal, esteve no presídio e conheceu as futuras instalações da enfermaria que deverá funcionar também a partir de janeiro. “Temos a preocupação de prestar assistência a população carcerária e precisávamos acertar alguns pontos com o coordenador do sistema para retornarmos”, ressaltou Elizete Azevedo. Diferente de Coari, Tefé já está cadastrada e recebendo a verba, o que deve facilitar a aplicação.

Um calendário de ações está sendo desenvolvido e começará a ser aplicado a partir de janeiro. “Nós temos esse calendário para começar a cumprir já em janeiro. Não podemos mais esperar agora que já acertamos o que faltava”, ressaltou Elizete.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade