Domingo, 16 de Junho de 2019
Tragédia

Vítima de naufrágio em Autazes é sepultada e outra segue desaparecida

Uma das vítimas do acidente, o professor indígena Francisco Marques, 46, contribuiu para a educação dos povos Mura desde 1992. Agora, as lideranças tentam medir as consequências dessa perda para a aldeia



7be66f36-4465-4a4a-8f04-0ecb0098415a.jpg Na foto, o professor Francisco. (Foto: Divulgação)
24/12/2016 às 12:31

Uma das vítimas do naufrágio envolvendo uma lancha e um bote nas proximidades do porto de Autazes, município localizado a 113 quilômetros de Manaus, o professor Francisco Marques da Silva, de 46 anos, foi sepultado na tarde de sexta-feira (23), por volta de 17h. Josimar Sandoval Balieiro, de 30 anos, outra pessoa envolvida no acidente que ocorreu na tarde de quinta-feira (22), segue desaparecido.

De acordo com um dos membros do Conselho Municipal de Educação de Autazes, Alcilei Neves, que é primo do desaparecido, o Corpo de Bombeiros do município está em busca do corpo de Josimar, desde a tarde de sexta-feira. “Descemos o rio Autaz-Açu, até as quatro bocas, mas até agora não encontraram nada”, disse Neves à reportagem na manhã deste sábado.

Perdas para a educação indígena
O professor Francisco Marques foi formado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) pelo curso de Licenciatura em Educação Escolar Indígena, formação Educação Escolar em Ciências Humanas e Sociais. De acordo com o Coordenador da Organização dos Professores Indígenas Mura (Opim), Mariomar Moreira,46, o professor irá fazer bastante falta para a comunidade indígena. 

 Momentos de recordações de quando foram defendidos os trabalhos finais de ensino superior indigena. (Foto: Divulgação)

 “O professor Francisco foi um dos fundadores do movimento de educação para os povos Mura, desde 1992 ele atuou como principal incentivador e conselheiro. Francisco foi gestor e professor na escola Dr. Jacobino e também na Aldeia São Félix. Ele era o docente mais antigo e vai fazer uma falta enorme... e sobre essa perda, nós ainda não medimos as consequências”, desabafa Mariomar.

Com alegria, Mariomar relembra que Francisco o incentivou a "correr a trás do magistério". "Ele contribuiu não só a nível estadual, mas para a Amazônia, pois Francisco foi membro do Conselho dos Povos Indígenas da Amazônia Brasileira", disse.   

Para o professor Alcilei, a contribuição de Francisco vai além da educação. “Ele lutava pelo protagonismo indígena e seus direitos. Ele era muito ligado à comunidade ao ponto de dar o que tinha em favor do outro. Ele era muito receptivo e alegre”, relembrou.

Entenda o caso
Segundo as autoridades locais, duas embarcações de pequeno porte se chocaram de frente, a lancha e um bote menor, e a lancha acabou naufragando. O acidente aconteceu por volta das 19h50 de quinta-feira (22). De acordo com a Polícia Militar de Autazes, as duas embarcações colidiram nas proximidades do Porto das Pedras, o porto da cidade. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.