Publicidade
Cotidiano
Notícias

Vivo apresenta seu protótipo de 'cidade inteligente' na Futurecom

O presidente de Vivo, Antônio Carlos Valente, deu detalhes sobre o projeto das Cidades Digitais e Inteligentes, cujo piloto está sendo desenvolvido na cidade de Águas de São Pedro, a 186 Kms de São Paulo 16/10/2014 às 22:47
Show 1
Antônio Carlos Valente, presidente da Vivo
Lucas Jardim* São Paulo (SP)

O presidente de Vivo, Antônio Carlos Valente, deu detalhes sobre o projeto das Cidades Digitais e Inteligentes em uma coletiva de imprensa realizada como parte das atividades da Futurecom, a maior feira do setor de telecomunicações da América Latina, realizada em São Paulo.

O projeto-piloto está sendo desenvolvido na cidade de Águas de São Pedro, município localizado a 186 Kms da capital paulista, e busca ir além da modernização dos serviços de conexão e voz e abrange também a implantação de diferentes soluções de tecnologia para tornar a cidade, além de digital, “inteligente” nas áreas de educação, saúde e gestão e pública.

“É como eu sempre digo. As cidades podem digitais e não serem inteligentes, podem ser inteligentes e não serem digitais. O bom é quando temos uma cidade digital e inteligente, que é o que a gente está fazendo em Águas de São Pedro. Essas cidades inteligentes vêm do conceito de você começar a usar tecnologia de informação e comunicação para melhorar a vida das pessoas”, explicou Antônio.

Parqueamento

O presidente da Vivo destacou a implantação do sistema que se convencionou chamar de “smart parking”, que funciona como os sensores presentes em estacionamentos de shopping centers, por exemplo, só que em maior escala. “Numa grande cidade, você tem dificuldade de estacionar seu carro, então você tem sinalizadores que passam informações para determinadas áreas onde você tem um número de vagas em cada localidade, podendo mandar também para o seu smartphone. [Dessa forma], você vai estacionar de maneira mais simples porque você tem um sistema de parqueamento inteligente. Eventualmente, você também poderá fazer o pagamento do estacionamento pelo smartphone”, contou.

Iluminação

O executivo também falou sobre os avanços em iluminação pública que muito podem beneficiar os municípios, que, em obediência a uma disposição constitucional e uma determinação da Agência Nacional de Energia Elétria (Aneel), ficarão responsáveis pelo custeio e manutenção do serviço a partir de 1º de janeiro de 2015. “Muitas cidades estão iniciando o processo de substituição das lâmpadas de vapor de sódio ou vapor de mercúrio por LEDs. Essa modificação ensejaria a possibilidade de você colocar qualquer tipo de inteligência no poste”, declarou.

Esse conceito pode evoluir para que o próprio poste, não somente a luz, se torne inteligente com aplicações de TI. “Esse poste inteligente pode contribuir para a segurança, pode criar, em cidades maiores e com tráfego mais intenso, as chamadas zonas azuis, onde você define perímetros com custos de acesso diferenciados, pra você criar controle de fluxo de tráfego, como acontece em algumas cidades do mundo. Por exemplo, no centro de São Paulo, que tem um tráfego super intenso, você pode criar uma zona azul, em que as pessoas vão pagar uma espécie de pedágio para entrar, disse Antônio, vendo nesses “pedágios digitais” uma forma de reduzir substancialmente o trânsito de grandes metrópoles.

Medidores

Indo além do que já é feito hoje por objetos, o “smart metering”, ou medição inteligente, anunciado pelo presidente da Vivo, é uma solução que muda por completo uma atividade costumeiramente feita por pessoas: a medição do consumo de energia elétrica e água. Nesse sistema, uma inteligência é inserida nos medidores desses serviços, deixando-os conectados. “Esses medidores permitem a leitura remota, ou seja, você não precisa mais de alguém que vá fazer essa leitura localmente, mas além disso, você começa a criar novas possibilidades de negócio para a operadora e para o cliente, por exemplo, a tarifa diferenciada por hora do dia”

Por fim, ele deu detalhes sobre as oportunidades geradas por esse novo modelo de negócio. “Se você tem um chuveiro elétrico na sua casa, você não precisa tomar um banho no horário de pica, quando a energia elétrica custa mais caro, mas hoje você não tem como cobrar diferenciada. Com um medidor desse, você tem, porque essa informação é gerada online, em tempo real. Você pode também comprar determinados kilowatts cada mês pré-pagos, isso reduz o nível de inadimplência e reduz o custo de cobrança, como acontece no setor de telecomunicações”, finalizou o presidente.

*O repórter viajou a convite da Telefônica Vivo

Publicidade
Publicidade