Segunda-feira, 06 de Abril de 2020
DESEMPENHO

Volume de serviços no Amazonas cresce apenas 0,3% em agosto

Pesquisa Mensal do Serviço divulgada pelo IBGE indica queda na comparação com o desempenho de 2018. Ainda assim, o AM ficou em 7º colocado no ranking nacional para o período



manicure-servicos-agencia-brasil-elza-fiuza_0FD6249A-02CC-43FB-ADA0-5EC45E6A5743.jpg Foto: Reprodução/Internet
11/10/2019 às 16:43

O volume de serviços no Amazonas cresceu 0,3% frente a julho, na série com ajuste sazonal, após 0,1% no mês anterior. Na comparação com agosto de 2018, o setor de serviços no estado caiu 3,5%. Os números da Pesquisa Mensal do Serviço foram divulgados nesta sexta-feira (11), pela Unidade Amazonas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação ao acumulado no ano (2,7%), o setor de serviços teve uma pequena redução no mês. No acumulado nos últimos doze meses (1,2%), apresentou queda em relação ao mês anterior (2,2%). Os dados dos acumulados mostraram uma pequena redução em agosto. Mesmo assim, bem acima da média nacional.



Comparando os estados, o Amazonas ocupa a7ª posição (0,3%) dentre as 27 unidades da federação, ao comparar o volume de serviços em agosto com julho. Resultado menor que a média nacional (0,5%).O melhor desempenho do mês ficou com Roraima 3,9%, Espírito Santo 2,8% e Bahia 1,3%. Tocantins, Acre e Alagoas com -8,2, -7,1 e -5,0 respectivamente, ficaram com as piores posições.

No acumulado do ano, o volume de serviços em agosto chegou a 2,7%. Assim, o estado do Amazonas alcançou a 3ª posição no ranking entre as maiores variações das 27 unidades da federação.

Receita Nominal dos Serviços

Em agosto de 2019, a receita nominal de serviços subiu 0,5% frente a julho. Na comparação com agosto de 2018, o setor de serviços no Amazonas subiu 2,9%. Em relação ao acumulado no ano e ao acumulado de 12 meses, os dados mostram crescimento da receita de 2019 em relação a 2018 (7,2% e 4,8% respectivamente). Esses dados mostram que a receita nominal dos serviços no estado do Amazonas até agosto, vem se recuperando em relação ao ano passado.

Dentre as unidades da federação, o Amazonas a 8ª posição (0,5%) dentre as 27 unidades da federação. As maiores altas foram em Roraima (4,6%), Espírito Santo (2,6%), e no Pará (2,3%) e as maiores baixas ocorreram no Acre (-7,7%), Tocantins (-7,5%) e em Alagoas (-5,2%).

Na comparação com o mesmo período do ano de 2018, o acumulado no ano da receita nominal de serviços em agosto no estado do Amazonas, alcançou a 2ª posição no ranking entre as maiores variações das 27 unidades da federação. As menores baixas foram no Piauí (-5,2%), Acre (-5%) e em Rondônia (-3,8%).

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.