Publicidade
Cotidiano
CASSAÇÃO

Voto de Átila Lins sobre Cunha é o único 'mistério' da bancada do Amazonas

Sessão que vai definir o futuro do ex-presidente da Câmara foi aberta na noite de hoje; bancada do Amazonas antecipou seus votos 12/09/2016 às 19:05
Show atila
Átila Lins é o único parlamentar amazonense com o voto ainda indefinido / Foto: Ag. Câmara
Antônio Paulo Brasília (DF) - Sucursal

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) abriu agora a pouco – às 19h de Brasília – a sessão deliberativa desta terça-feira (12) que vai analisar e votar o pedido de cassação do ex-presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por quebra de decoro parlamentar. Ele mentiu na CPI da Petrobras dizendo que não possuía conta bancária no exterior. A Polícia Federal e o Ministério Público provaram a existência das contas e de recursos em nome de Cunha, da mulher e filha dele, adquiridos por meio de propina.

Na abertura da sessão, havia 293 deputados. Para cassar Eduardo Cunha, são necessários 257 votos “sim”, mas o presidente Rodrigo Maia suspendeu a reunião às 19h15 e disse só vai dar continuidade aos trabalhos com quórum elevado de no mínimo 400 parlamentares.

A bancada dos oito deputados federais do Amazonas já está em Brasília. Na primeira sessão, aberta às 13h, somente Conceição Sampaio (PP-AM) e Pauderney Avelino (DEM-AM) marcaram presença. Mas, na sessão iniciada às 19h, Marcos Rotta (PMDB-AM) também se disse presente por meio do painel eletrônico.

Os votos do Amazonas

Em consulta feita pela coluna Sim & Não na semana passada, quatro dos oito deputados adiantaram que votarão pela cassação do ex-presidente da Câmara dos Deputados: Silas Câmara (PRB), Pauderney Avelino (DEM), Hissa Abrahão (PDT) e Alfredo Nascimento (PR). Recentemente, Rotta, que é do mesmo partido de Cunha, disse que também vai votar a favor da cassação do ex-presidente da Câmara.

Nos últimos levantamentos feitos por observatórios dos principais jornais do país, somente os deputados Átila Lins (PSD-AM), Arthur Bisneto (PSDB-AM) e Conceição Sampaio (PP-AM) ainda não anteciparam o voto. Fontes ligadas à única mulher da bancada de deputados amazonenses, não têm dúvidas de que Sampaio vai votar “sim” pela cassação. “Ela sabe o que a população quer e ali no plenário, em voto aberto ao vivo, é muito difícil contrariar a população”, declarou a fonte sobre a posição da deputada do PP amazonense.

Bisneto é “sim”

Ao Portal A Crítica, o deputado Arthur Bisneto negou estar indeciso. “Já estou decidido há muito tempo só que não sou de tripudiar na cabeça de ninguém mesmo sendo distante do Eduardo Cunha. Estive na cassação de dois colegas da Assembleia Legislativa (Antônio Cordeiro e Wallace Souza) e não é nada agradável”, declarou. O deputado tucano disse que se 1% do que está sendo dito, mostrado e revelado sobre o ex-presidente da Câmara for verdade, já é motivo de cassação. “Portanto, vou votar “sim” pela perda do mandato de Eduardo Cunha”, disse Bisneto.

Com esses posicionamentos, resta agora somente o voto de Átila Lins a ser revelado. O portal A Crítica tentou inúmeras vezes falar com o parlamentar que chegou às 17h20 em Brasília, mas ele não atende às ligações e nem foi ao plenário da Câmara.

Página virada

Mais cedo, o líder do Democratas, Pauderney Avelino, disse não acreditar na renúncia de Eduardo Cunha para se livrar da cassação porque ele só ganharia mais alguns dias de fôlego. “Hoje, será o dia de resolvermos de uma vez por todas esse demorado processo do deputado Eduardo Cunha. É hora de virarmos mais essa página na história política brasileira”, declarou Pauderney. 

Publicidade
Publicidade