Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
ENTREVISTA

Whirlpool destaca o exemplo de fazer produtos com eficiência energética

O responsável de Novos Negócios, Relações Institucionais, comunicação e Sustentabilidade da Whirlpool em Manaus, Armando Ennes do Valle Jr, desmistifica os conceitos e fala do exemplo positivo da organização



dsfsdf.JPG Armando Ennes do Valle Jr: não adiantar fugir do capitalismo. (Foto: Evandro Seixas)
03/07/2016 às 00:30

Falar de sustentabilidade remete a uma empresa com práticas de respeito ao meio ambiente. Mais do que uma palavra da moda, sustentabilidade é princípio que harmoniza o econômico com o social.

A Whirlpool, fabricante das marcas Brastemp, Consul e Kitchen Aid, adota seis pilares da sustentabilidade nos seus negócios: inovação sustentável, eficiência energética, minimização de resíduos, uso sustentável da água, desenvolvimento social, redução das emissões de carbono. 

O responsável de Novos Negócios, Relações Institucionais, comunicação e Sustentabilidade da Whirlpool em Manaus, Armando Ennes do Valle Jr, desmistifica os conceitos e fala do exemplo positivo da organização.


Sustentabilidade, não é só palavra da moda. O que ela significa dentro dos negócios?

A gente conceitua sustentabilidade pelo tal do “triple-bottom-line”: sociedade, meio ambiente e negócios. Um não vive sem o outro. A gente está numa economia capitalista, não adianta fugir disso. Todo mundo vive para sobreviver, para consumir e para ganhar dinheiro. Você tem que ter atenção para duas coisas: meio ambiente e sociedade. Quando você olha para sociedade, todas as questões (segurança, ética, valores) são importantes para as marcas. Então não posso brincar com a marca. Ao mesmo tempo, temos a questão do meio ambiente.  

Como você cuida disso dentro da empresa?

Tem efeito estufa, gases, consumo de energia, enfim, diversas dimensões de como a empresa tem que atuar. Eficiência energética, que é a parte da redução do consumo, redução da emissão de carbono - que é a emissão de gases - uso sustentável da água, redução de substâncias restritas e minimização de resíduos. Neste quesito, conseguimos resíduos zero, não mandamos nada para aterros. Todas as empresas no Brasil enfrentam ou enfrentarão algum problema com destinação de resíduos. Por isso um problema interno de reuso, em conversa com seu fornecedor,  é superimportante para a empresa, como nós temos.

O que é estar alinhado com a sustentabilidade?

Sustentabilidade custa caro. É mais fácil só vender produto do que você olhar sua cadeia de produção, produzir, vender o produto e no final da vida dele, tirar e reusar. Esse é o caminho da sustentabilidade. Isso é muito mais complexo e caro do que simplesmente vender produto. Sustentabilidade é algo que todo mundo vai pagar em algum momento da vida pela complexidade dela, mas você está salvando o quê? meio ambiente, água, respiração. Eu costumo brincar assim: o efeito estufa é ruim? Não é. Porque se não tivesse efeito estufa não tinha vida na terra, a terra seria gelada, ele é que mantém o calor. Mas o controle do efeito estufa é uma coisa importante para qualquer país. A nossa preocupação é que, se a gente for rápido demais, a gente coloca um produto muito caro no mercado e não vende, a gente quebra e não é sustentável. Se a gente for lento demais, a gente contamina as marcas e elas envelhecem. 

O que é uma empresa sustentável?

Primeiro, eu não acredito em uma empresa “verde”, eu acredito em empresas preocupadas com essas três dimensões: cuidam do social, do econômico e do meio ambiente. Agora, posso dizer: uma empresa que não cuida do seu resíduo vai ter um problema daqui a pouco, seja com aterro ou colocação que vai custar muito caro. A gente diz que ter um produto no mercado é como ter um filho. Há três anos foi aprovada a lei dos resíduos sólidos no Brasil. Isso é um avanço. Todo mundo acha que é o problema do refrigerador usado é  da indústria. É um problema do consumidor, do revendedor e da indústria. Se você não fizer a logística reversa, dentro da cadeia, você terá um produto muito caro. Eu não tenho capilaridade de tirar um produto do mercado no interior de qualquer estado. Quem pode fazer isso é o consumidor e o revendedor. 

O que é ser sustentável numa fábrica na Amazônia? 

É muito importante. Você não pode fazer nada de errado, tem que estar muito à frente. Hoje temos sistema de captação de água, estamos preocupados com nossa cadeia de produção. Você já viu escândalos de grandes marcas que tinham trabalho escravo na cadeia, por exemplo. Nós usamos aço e tem um problema: para fazer aço, tem que ter carvão. Se a acearia (fabricante de aço) não tomar conta do carvão, ela pode comprar de região de fronteira, derrubando floresta, ou de trabalho escravo ou de criança. É uma cadeia. Então uma empresa que quer ser minimamente sustentável precisa se co-responsabilizar pela sua cadeia de produção e, hoje, nós temos toda a cadeia de produção do aço mapeada dentro da companhia.

Whirlpool é destaque na II Virada Sustentável

Nos dias 9 e 10 de julho, quando acontece a 2ª edição da Virada Sustentável de Manaus, evento dedicado à mobilização e educação para a sustentabilidade, a Whirlpool Latin America, por meio do Instituto Consulado da Mulher - ação social da marca Consul - oferecerá atividades gratuitas para o fomento do papel da mulher na sociedade.

Na programação prevista para o primeiro dia (9), a companhia realizará uma roda de conversa, às 10h, no  auditório da Fundação Amazonas Sustentável (FAS). A discussão acontecerá em torno do tema “Empoderamento Feminino e Sustentabilidade” e contará com a presença de Armando Ennes do Valle Jr, vice-presidente de Novos Negócios, Serviços, Relações Institucionais, Comunicação e Sustentabilidade da Whirlpool Latin America, de Leda Böger, diretora-executiva do Instituto Consulado da Mulher, e representantes do Ministério do Trabalho e Emprego e das Secretarias do Estado de Trabalho e de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania. Não há a necessidade de realizar inscrição prévia.

Completando a agenda, nos dias 9 e 10, no Sumaúma Park Shopping, empreendedoras de Manaus, assessoradas pelo Consulado da Mulher, ministrarão oficinas gratuitas de culinária. 

Os interessados em conhecer um pouco mais do trabalho da ação social na região, assim como os requisitos para participar, também contarão com profissionais na loja em que acontecerá as oficinas, nos mesmos dias e horários. 

“A Whirlpool tem muito orgulho de participar desta iniciativa. Nosso objetivo é compartilhar as experiências do Instituto Consulado da Mulher, que possui forte atuação na região, incentivando e assessorando mulheres em situação de vulnerabilidade”, destaca Armando do Valle Jr.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.