Publicidade
Cotidiano
Notícias

Workshop debate experiências de combate ao crime com peritos renomados nacionalmente

Peritos dos casos Mércia Nakashima, Suzane Richthofen estiveram no evento, que teve também a participação de profisisonais amazonenses 04/12/2014 às 21:34
Show 1
Encontro de peritos renomados no auditório do Ministério Público do Amazonas
PERLA SOARES Manaus (AM)

Peritos criminais que atuaram em crimes de repercussão nacional, como a investigação dos casos Mércia Nakashima e Suzane Richthofen, estiveram nesta quarta-feira (4), contando suas experiências no “Iº Workshop sobre Casos de Perícia – A Ciência Contra o Crime”, realizado pelo Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), vinculado a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). O evento aconteceu no auditório do Ministério Público do Amazonas (MPE-AM), avenida Coronel Teixeira, 7.995, Nova Esperança, Zona Oeste de Manaus.

Durante a abertura do evento o Diretor do DPTC, Jefferson Mendes, destacou a importância da parceria entre a academia e os órgãos de segurança, em particular o DPTC onde se pratica diariamente ações e estudos nas diversas áreas da pericia criminal e onde todo dia se aprende um pouco mais sobre as ações desenvolvidas considerando que a cada atividade surge uma nova descoberta.

Jefferson Mendes ressaltou ainda que a parceria com os diversos departamentos, institutos e universidades servirão para aprimorar os conhecimentos dos professores, técnicos administrativos e estudantes juntamente com os profissionais da segurança pública envolvidos nos trabalhos de pesquisa conjunta.

O evento contou, também, com a participação do procurador geral de justiça do Amazonas, Carlos Fábio Braga Monteiro, falando sobre o caso Belota e da delegada da Polícia Civil do Amazonas, Maria Cristina Portugal, que fez um resumo dos casos em que a perícia foi determinante para a conclusão do inquérito policial.

Dentre os profissionais convidados estavam o perito criminal de São Paulo Dr. Renato Pattoli , que atuou no caso Mércia Nakashima, a perita criminal federal do Rio de Janeiro, Dra. Rosemery Almeida que atuou no caso da empresa petrolífera Chevron, e o promotor de justiça de São Paulo  Dr. Roberto Tardelli, que atuou no caso Suzane Richthofen.

Caso Mércia Nakashima

O caso Mércia Nakashima refere-se à morte da advogada brasileira Mércia Mikie Nakashima, de 28 anos, que foi afogada dentro do carro trancada na represa de Nazaré Paulista, interior de São Paulo, às margens da rodovia Dom Pedro 1º em 23 de maio de 2010.

Ela desapareceu após participar de um almoço em família em Guarulhos (SP). Segundo familiares, ela deixou a casa da avó onde aconteceu o jantar por volta das 18h30 e o trajeto até a casa dela é dez minutos, mas não chegou ao seu destino.

Ainda segundo familiares, antes de sair, Mércia recebeu um telefonema do ex-namorado e ex-sócio de um escritório de advocacia, Mizael Bispo de Souza. Ele foi considerado como o principal suspeito de matar a advogada e condenado a 20 anos pela morte dela.  

Suzane Richthofen

Em 31 de outubro de 2002, os pais de Suzane Von Richthofen foram mortos a pauladas enquanto dormiam. Eles assassinatos foram planejados por Suzane e executados pelo então namorado da jovem, Daniel Cravinhos de Paula e Silva, e pelo irmão dele, Cristian Cravinhos de Paula e Silva. Os três foram condenados pelo crime. Na noite de 30 de outubro de 2002 Suzane e Daniel levaram o irmão dela, Andreas, então com 15 anos, a um cybercafé para ele passar a noite entretido com jogos de computador. Depois ela retornou com o namorado e executou o plano.

Publicidade
Publicidade