Domingo, 15 de Setembro de 2019
POLÍTICA EMPRESARIAL

Empresa cria comitê para promover diversidade e respeito às diferenças

Grupo Simões criou o Programa 'Movimenta Simões Diversidade', afim de ouvir demanda de funcionários e formar times de trabalho mais mistos e diversificados



Grupo_Simoes1-_Junio_Matos_7CDA1B1D-91E8-4CDB-B13B-849FBCEADD81.JPG Foto: Junio Matos
01/09/2019 às 15:55

A questão da diversidade vem ganhando visibilidade nos últimos anos. Medidas como a criminalização da homofobia abrem espaço para discussões que chegam também aos ambientes empresariais.

A diversificação no ambiente organizacional é uma preocupação das grandes companhias. Para a diretora de desenvolvimento humano e organizacional do Grupo Simões, Tânia Corrêa, medidas inclusivas refletem no funcionário em fatores como qualidade, criatividade, bem como envolvimento com a função e com o público consumidor, que passa a se identificar muito mais com o produto.

“Na verdade hoje as empresas estão muito preocupadas com isso, e tem muito a ver com o mercado consumidor. Somos uma empresa de varejo do mercado de alto consumo, então, quanto mais diverso e inclusivo for o meu ambiente, mais esse cenário vai refletir no meu consumidor”, explica.

Observando essa tendência do mercado e buscando novas soluções para a melhoria da representatividade o Grupo Simões, implantou o Programa "Movimenta Simões Diversidade". O comitê foi lançado este ano, no dia do Orgulho LGBT (28 de junho) e busca viabilizar ideias que colaborem para um clima de integração entre os funcionários.

A Diretora de desenvolvimento explica que o comitê possui a colaboração dos próprios trabalhadores, que podem atuar como voluntários. O comitê busca bem constituição a diversidade de opiniões, afim de envolver os colaboradores no projeto.

“A proposta busca ter representantes de várias áreas de atuação. Ele é aberto e as pessoas podem entrar e colaborar com as ações que vamos empreender, com propostas que levaremos para direção da companhia e para o conselho de administração, para serem chanceladas. Essas propostas, claro, estarão embasadas em números e oportunidades”, conta.

Ela destaca também a importância do planejamento em conjunto com os funcionários que promove decisões assertivas, de acordo com as reais necessidades, que nem sempre são observadas.

“Ao invés de nos fecharmos em uma sala, iremos construir juntos o que pensamos ser apropriado e o que faz sentido para 3.500 funcionários a partir da amostra que vem deles. Poderíamos ter uma ideia brilhante, mas não ter adesão ou engajamento. Fizemos o processo inverso, para que eles pensem o que faz sentido na nossa realidade”, completa.

A questão do gênero

Uma das problemáticas identificadas pelo Grupo é a inclusão de mais mulheres nos ambientes de trabalho que atualmente. Segundo dados da Coca-cola Brasil, elas somam pouco mais de 14% do total de funcionários do sistema na região Norte.

“Temos uma predominância masculina devido ao nosso tipo de serviço, mas isso não é um limitador. Acabamos sendo pouco atrativos para que as mulheres se candidatem a alguns cargos, então, essa é uma das nossas preocupações, como nos tornar uma empresa atrativa para que elas se candidatem mais?”, pontuou

 

A diversidade

A escolha do grupo de atuação ainda está em processo de estudo, segundo a gerente de comunicação e gestão de riscos do Grupo Simões, Izabel Valente. Ela, que também é membro do comitê, fala a vários seguimentos de diversidade presentes na empresa que estão sendo debatidos nas reuniões mensais do grupo.

“Vamos definir quais serão os segmentos da diversidade prioritários no projeto. Iremos focar em gênero, etnia, idade, crença, orientação sexual? Isso, escutando os colaboradores, buscando o que incomoda essas pessoas, então a proposta para próxima reunião quer trazer essa impressão”, conta Izabel.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.