Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019
FORMAÇÃO

Cursos de graduação e pós graduação do AM investem em polo de jogos

O Brasil é um dos maiores consumidores desse tipo de entretenimentos no mundo. Esse mercado injeta cerca de US$ 1,5 bilhão e ganha cada vez mais espaço, principalmente com a chegada das novas gerações movidas pela paixão aos jogos eletrônicos



VIDEO_GAMES_A23F4570-1768-4630-A4F9-406B45291334.jpg Foto: Divulgação
01/12/2019 às 11:56

A produção de jogos cresce na América Latina com destaque para o Brasil, que tem perspectivas positivas com aumento 164% no número de desenvolvedores de games em quatro anos, segundo o último censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais (IBJD), feito em 2018.

Atualmente, o Brasil é o um dos maiores consumidores deste tipo de entretenimento no mundo e, aos poucos, avança para a criação de games nacionais. Esse mercado injeta cerca de US$ 1,5 bilhão e ganha cada vez mais espaço, principalmente com a chegada das novas gerações movidas pela paixão aos jogos eletrônicos.



“O mercado brasileiro de jogos, assim como o mercado mundial, cresce absurdamente. Por exemplo, nos esporte dos jogos eletrônicos, um estudo recente que mostrou que a final do League of Legends tinha mais gente assistindo que a NBA nos Estados Unidos”, contou a diretora de comunicação da Associação Brasileira de Games (Abragames), Marina Pecoraro.

O estudante de sistema da informação da Universidade de Estado do Amazonas (UEA) Eduardo Maia que antes via nos jogos uma forma de fazer novas amizades, hoje, se encanta com as possibilidades de trabalhar na área. “Desde pequeno eu sempre quis entrar para essa área pra fazer com que outras pessoas, crianças adolescentes, também pudessem sentir um pouco do que eu sentia”.

Games no Amazonas

O Amazonas também começa dar passos para esse mercado, com um crescimento de mais de 350% entre os anos de 2014 a 2018, segundo a Abragames. Movido principalmente pelo fortalecimento do Polo Digital de Manaus, a região busca na tecnologia um complemento à economia industrial.

Para quem procura formação na área, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) conta com graduações, cursos e treinamentos de curta duração promovidos no Samsung Ocean. Mais recentemente também oferece uma pós-graduação em desenvolvimento de games.

“O que basicamente vai faltar é a formação porque, por exemplo, o INDT (Instituto de Desenvolvimento Tecnológico) pode chamar alunos que a gente formar para o estúdio deles, assim como a Samsung, quando veio para Manaus e hoje pega uma boa parte dos nossos formandos para o estúdio dela. A nossa pós-graduação inclusive já formou pessoas que hoje trabalham no exterior”, revelou o engenheiro de software e professor da UEA, Jucimar Maia.

Laboratório

No dia 21 de novembro, o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) e a da Fundação Paulo Feitoza (FPF Tech), em parceria com a Microsoft, inauguraram o Amazon Forest Game, que já tem como a sua primeira produção: o Kukoo Monkeys - The lost pets. Projetado inicialmente para os consoles da de Xbox, que convida os jogadores a uma saga em com os macaquinhos da Amazônia. 

“Ele (o estúdio) é a primeira ação de muitas outras que a gente deve ter uma sequência de ações, que é a intenção da Microsoft acelerar o desenvolvimento de jogos nessa região que deve anunciar alguns eventos e outras ações de investimento na região”, disse o diretor executivo do INDT, Geraldo Feitoza.
 

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.