Domingo, 15 de Setembro de 2019
RECURSOS HUMANOS

Empresas em Manaus adotam horário flexível para otimizar produtividade de funcionários

Companhias de tecnologia e criação adotam a horário flexível para facilitar a rotina da equipe e bem estar dos colaboradores



31/08/2019 às 09:18

A rotina corrida desafia a conciliação da vida pessoal e familiar com os bons resultados no trabalho. Esses fatores podem acarretar problemas psicológicos além de reduzir a produtividade do funcionário.

Para solucionar este problema, muitas empresas no Brasil adotaram métodos de flexibilização dos horários a fim de promover uma qualidade de vida melhor para os empregados. Um dos pioneiros desse modelo no estado, o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) possui turnos alternativos de trabalho desde sua formação.

Inicialmente houve a adoção do horário lucro, um modelo utilizado por muitas empresas mundo afora, que consiste na entrada e saída do funcionário a partir de um período pré-definido pelo empregador.

O instituto acredita que a liberdade para trabalhar colabora para os bons resultados principalmente nos setores ligados a criação, como relata a gerente de recursos humanos do INDT, Vanessa Milon.

“O funcionário se apropria da sua responsabilidade e não se sente micro gerenciado. Ele tem a liberdade para trabalhar e quando você trabalha com liberdade, principalmente nós que trabalhamos com criatividade, ela flui melhor”, explica.

Para que haja melhor administração das horas e respeito às leis trabalhistas os funcionários têm o período de quatro meses para acumular banco positivo de horas.

Há mais de 10 anos, o instituto opta por um regime de horários totalmente flexíveis em que o funcionário cria a sua rotina, desde que cumpra o expediente e horário de funcionamento da empresa, podendo também optar pelo home office.

Qualidade de vida

Assim como o INDT, o Instituto Sidia também fez a opção por um regime, embora mais restritivo, de flexibilização de horário, conforme conta a diretora administrativa, Vânia Capela.

“Não é uma flexibilização total, mas ele poderá chegar desde às 6h da manhã até às 10h e sair desde às 16h até 19h30. Se necessário, pode haver o deslocamento desse horário para mais tarde ou mais cedo, porque é importante ter um intervalo de tempo que todos os profissionais estejam aqui”, disse.

O instituto de ciência e tecnologia projeta softwares de realidade virtual e aumentada para celulares e tablets comercializados no Brasil e na América Latina para vários clientes, tem como foco, a partir destas medidas, colaborar para o processo singularidade dos desenvolvedores.

“Nossos profissionais são cientistas, engenheiros da computação e telecomunicação, designes, artistas. Então nosso trabalho é totalmente voltado para a inovação e a criatividade, sendo fundamental que o funcionário tenha uma qualidade de vida”, conta Vânia.

A diretora prossegue explicando que o objetivo principal é o bem-estar do profissional para que assim possa entregar produtos de qualidade e ter uma vida saudável dentro do instituto, e para isso o Sidia optou por uma localização e espaço estratégico para melhor acomodação dos seus quase mil funcionários.

“Tentamos buscar uma área centralizada que traz benefícios no transporte, como menos tempo no trânsito, ao lado do shopping porque facilita quando um funcionário precisa sair para resolver algo pessoal, o prédio ajudou muito no ambiente de trabalho e na qualidade de vida”, prossegue.

“Nós temos programas como o setembro amarelo e um psicólogo para atender qualquer demanda do funcionário, ambientes de descompressão que o funcionário pode trabalhar fora do seu espaço de trabalho, na área do terraço e do mezanino, porque nós trabalhamos com a mente e a ideia é que a pessoa não fique tão sobrecarregada e possa ter um ambiente mais agradável”, conclui a diretora.

O especialista de Inovação do Sidia, Emanuel Edwan de Lima, aponta como uma das vantagens, para ele, a possibilidade de ajustar seus horários de acordo com as demandas do dia. O funcionário diz ainda que os acordos entre os times de funcionário se sobrepõem na relação entre patrões e empregados e são eles quem decidem os horários de reuniões que todos possam participar da formulação dos projetos estimulando o espírito de equipe.

“Isso ajuda muito porque cria um sentimento de união. Eu sei que o meu amigo não vai estar aqui porque ele foi buscar o filho na escola ou foi dar aula, mas eu sei que na outra hora eu posso contar com ele”, finaliza.  

Foco na produtividade

Para o diretor de Arte da The White Publicidade, Fernando Silva, a flexibilização dos turnos na empresa aproxima os funcionários e a chefia, e para quem já trabalhou com horários definidos, essa facilidade apresenta influência e garante a entrega de uma bom resultado no trabalho. 

“Eu consigo solucionar alguns problemas que poderia demorar uma semana eu consigo resolver no mesmo dia e ter compromisso com o trabalho sem deixá-lo de lado então pra mim como funcionário é ótimo, porque consigo unir as coisas o resultado acaba surgindo. Fica um trabalho mais descontraído e não tem aquela pressão”, diz. 

Futuro do trabalho

Para o especialista em carreiras Durval Braga Neto, a nova dinâmica no mercado é uma tendência de sucesso, tanto para colaboradores, como para a prória empresa. "Sociólogo Domenico de Masi afirma que o futuro pertence a quem souber libertar-se da ideia tradicional do trabalho como obrigação ou dever e for capaz de apostar numa mistura de atividades, onde o trabalho se confundirá com o tempo livre, com estudo e com jogo, enfim, com o 'ócio criativo'. Então eu acredito realmente que o trabalho flexível será predominante num futuro próximo. Basta percebermos que os espaços de trabalho estão diminuindo e o home office está crescendo a cada dia", disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.