Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019
PREVENÇÃO

Empresas oferecem seguro para roubos e furtos de celulares a partir de R$ 6,10

Segundo a Abstartups, em três anos passou de 70 para 2010 statups focadas no mercado de seguros no Brasil.



SEGURO_7AC81005-16A0-4C46-A4C1-6B4CA8A6EC45.jpg Foto: Divulgação
01/12/2019 às 11:39

Roubos e furtos de smartphones são uma realidade para quem vive em Manaus e tiram a tranquilidade de quem utiliza os eletroeletrônicos. Para amenizar os prejuízos das vítimas, empresas e startups apostam nos serviços de contratação de seguros para esses aparelhos. Desconhecidos por muitos, as vítimas podem reembolsar de 80% a 100% do valor total dos celulares.

No ramo das startups, a empresa Pier procura mudar a relação das pessoas com a indústria de seguros e tornar menos burocrática a contratação desses serviços, que reembolsam valores quando ocorrem furtos simples. Em entrevista exclusiva ao A CRÍTICA, o co-fundador da startup “Pier” Lucas Prado, disse que os preços para contratação do seguro variam de acordo com o modelo do aparelho.



Lucas frisou, ainda, que o valor da contratação do seguro pode ficar mais caro tendo em vista a taxa de criminalidade da região que o contratante vive. Ele acrescentou que no site da empresa, todos os valores estão disponíveis. 

Preço

Quanto mais memória o celular tem, mais caro o valor do seguro. O valor mais barato é R$ 6,10 que cobre aparelhos como Samsung J2, e os valores mais caros giram em torno de R$ 110 que cobrem aparelhos como iPhone 11 e Galaxy Note”, explicou o empreendedor. Caso o cliente seja roubado ou furtado, ele deve apresentar o boletim de ocorrência e bloquear imediatamente o IMEI do celular.

O co-fundador disse à reportagem que o modelo de contratação, pode ser realizado on-line, tanto pelo site, quanto pelo aplicativo da empresa e a cobertura, também, pode variar de 80% a 100% do valor total do aparelho. “Se o cliente quiser contratar apenas para o período de férias, por exemplo, é possível fazer. Além disso, deixamos ele escolher a porcentagem de cobertura”, salientou Lucas.

Segurança

A estudante Karina Macedo, de 24 anos, disse ao ACRÍTICA que após sofrer um assalto, perdeu arquivos e fotos importantes. Depois do ocorrido,  passou a considerar importante a contratação de seguros para aparelhos eletroeletrônicos. “Se eu tivesse o seguro, eu poderia, ao menos, ter o valor do aparelho para comprar outro”, lamenta Karina.

Para a acadêmica de jornalismo Victória Mustafa, de 21 anos, muitas pessoas deixam de contratar seguros por considerarem os valores caros. A estudante disse à reportagem que já foi assaltada três vezes e, nas ocasiões, teve o celular roubado. A estudante contou que, em dois momentos, foi abordada por suspeitos em uma moto em bairros da Zona Sul de Manaus. 

“Se eu tivesse o seguro, a situação poderia ser amenizada, mas a gente compra o celular em um preço alto, às vezes o pagamos parcelado. Somar esse valor à contratação do seguro pode ficar caro”, disse.

Roubos

O número do registro de roubos é crescente. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), houve a recuperação de cerca de 800 celulares após duas edições da “Operação OFF Line”, deflagrada para combater o mercado de receptação de celulares.

A SSP-AM disse à reportagem que na primeira edição da operação, realizada no Centro da capital, 602 telefones sem comprovação de origem, ou seja, sem nota fiscal, foram apreendidos e disponibilizados para devolução aos donos. Na segunda edição, realizada no bairro Mutirão, outros 200 aparelhos foram recolhidos pela falta de nota fiscal.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.