Sábado, 16 de Outubro de 2021
Cuidados na volta às aulas

Escolas da rede particular de ensino promovem iniciativas para volta às aulas

Retorno das atividades presenciais na rede particular, na capital amazonense, vem criando desafios para pais e gestores



1942999_E4CC2C1C-C5FA-4DA2-B0DC-9A3CB6F46377.jpg Divulgação. Escolas particulares estão otimistas para o retorno das aulas presenciais. Elas foram orientadas a seguir os protocolos de proteção, o que dará mais segurança a todos na volta às atividades
22/09/2021 às 11:37

O retorno às aulas presenciais traz verdadeiros dilemas a respeito da segurança, praticidade e economia para famílias que sustentam a educação dos filhos. Em agosto deste ano, o Governo do Amazonas anunciou o retorno presencial nas escolas da rede estadual, promovendo, também, o retorno na rede particular.

Rafaela Cardoso, 17, é estudante da rede particular em Manaus e cita algumas dificuldades para lidar com o ensino híbrido. “É meio inevitável que não seja maçante porque todo mundo ficou mais de um ano nessa rotina híbrida. E o pior é que algumas pessoas não conseguiram se adaptar. Isso é muito triste”, conta.



Segundo a secretária de Educação e Desporto, Kuca Chaves, a situação da epidemia no Amazonas permitiu a retomada das aulas presenciais. “Manaus passa por uma fase de controle, uma fase em que não podemos baixar a guarda em relação aos protocolos de saúde. Mas isso nos trouxe a possibilidade de retornarmos de forma integral. Saímos do ensino híbrido presencial”, disse.

Para Laura Cristina Andrade, vice-presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Amazonas (Sinepe-AM), o ensino híbrido não é uma tendência por enquanto. “Diversas escolas já praticavam o ensino híbrido antes da pandemia. No entanto, não era na mesma estrutura e constância que hoje. Apesar de não termos uma análise regional mais profunda para dar como parâmetro, acreditamos que o ensino híbrido deve continuar sendo um aliado das escolas e não uma tendência. Com a experiência adquirida ao longo da pandemia, as instituições se sentem mais seguras para continuar atendendo seus alunos caso haja novamente a necessidade de interromper as aulas.”

Sindicato

De acordo com o Sinepe-AM, as escolas particulares estão com uma boa expectativa para o retorno das aulas de forma totalmente presencial. A adesão de uma série de medidas de segurança resultou devido à inexistência de foco de transmissão da Covid-19 nas escolas associadas ao Sinepe-AM. Isso trouxe segurança aos alunos, pais e professores. O órgão acredita que em 2022 o saldo será positivo quanto ao número de matrículas.

No início de fevereiro deste ano, o Sinepe-AM previu que, pelo menos, 35 mil trabalhadores do setor fossem demitidos por conta dos impactos da pandemia. Inadimplência em alta, cancelamento de matrículas e desconto obrigatório nas mensalidades foram apontados como fatores de risco para o setor. O cenário atual do setor foi alertado no mês de fevereiro deste ano, durante audiência na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

O professor Artur Sidney, 21, contou que está tomando todas as medidas de prevenção e proteção orientadas pelos órgãos de saúde para a segurança dos alunos e profissionais. Ele trabalha num curso preparatório para vestibulares e diz ser importante seguir os protocolos e tentar engajar, ao máximo, os alunos dentro da sala de aula.

“Tivemos muitas dificuldades e prejuízos com a paralisação já que, com isso, veio um cenário de crise e incerteza muito grande. Agora, estamos retornando aos poucos com uma perspectiva otimista, visto que os alunos perderam muito conteúdo e estão correndo atrás para normalizar essa situação”, relata o professor.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.