Domingo, 12 de Julho de 2020
Empoderamento feminino

Grupo de investidoras empodera mulheres sobre investimentos na bolsa

Curso criado há três anos procura traduzir a linguagem dos investimentos para que as mulheres aprendam a cuidar do seu próprio dinheiro



mulheres_37A19B16-709A-445E-9434-AA3D0AAB2AB4.JPG Da esquerda para a direita: Simone Schapira, Regina Giacomelli Politi, Marilene Bertoni Nigro e Luciane Ribeiro. Foto: Divulgação.
02/06/2020 às 09:31

Pelo menos 39% dos lares brasileiros possuem mulheres como chefes da família, conforme o último levantamento apresentado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mas essa responsabilidade, cada dia mais presente no universo feminino, demanda conhecimentos que por muito tempo foram atribuídos somente aos homens, a função de cuidar das finanças da família.

Foi da necessidade repentina de administrar o seu patrimônio, após um divórcio, que a empresária Regina Giacomelli Politi buscou ajuda das amigas: Simone Schapira e Marilene Bertoni Nigro - que conheciam bem a missão de cuidar do próprio dinheiro - criaram o Grupo Independente de Mulheres Investidoras (Gimi Netwoking).



No início, as reuniões eram informais e consistiam apenas na troca de experiências para traçar as estratégias pra organização da vida financeira de cada integrante. Mas, com o passar do tempo as amigas tornaram-se sócias ao perceberam a necessidade de profissionalização dos encontros, em vista da quantidade de mulheres que buscavam por conhecimentos sobre o mercado financeiro.

Sem ‘economês’

O curso criado há três anos pelas sócias, ganhou ainda o apoio da economista Luciane Ribeiro, que atualmente representa a América Latina, no Comitê de Investimentos do Fundo de Pensão da Organização das Nações Unidas, e busca traduzir a linguagem econômica para mulheres ensinando desde os princípios basilares do mundo das finanças, até as noções de quais os melhores investimentos para a renda variável.

As aulas que foram adaptadas para o Ensino à Distância durante a pandemia, são pensadas para dinamizar o ‘economês’ traduzindo-o para uma linguagem totalmente acessível sem perder a excelência acadêmica. A proposta é que a partir do GIMI Networking, é promover a conversação, para aproximar e empoderar mulheres.

“A mulher precisa tomar as rédeas da sua própria vida, porque você pode comandar os seus negócios, seus trabalhos seus filhos, mas se você delegar o seu dinheiro seus investimentos para um homem porque você acha que ele sabe tudo você nunca será a dona da sua vida de verdade”, aponta a empresária e sócia, Marilene Nigro.

Experiências em grupo

Além das aulas, o Gimi também possui um clube de associadas, onde a partir do valor anual, as integrantes podem ter acesso a vantagens como palestras exclusivas, grupos de conversação para a troca de experiências, consultoria financeira e netwoking com grandes investidores e executivos.

Os módulos do curso são divididos em três o primeiro tem o foco em micro e macro economia. No segundo módulo são abortados temas relacionados à renda fixa explicando os títulos do Tesouro Direto e sua usabilidade. Por fim, o curso apresenta opções de renda variável e investimento em ações.

As inscrições para o curso são através do site, www.giminetwork.com.br. Desde o lançamento em 8 de março deste ano o Gimi criou oito turmas, que participam através da plataforma on-line todos os dias.

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.