Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
criatividade

Impressoras 3D podem ser utilizadas na fabricação de insumos de saúde

Com o avanço da tecnologia e a democratização do equipamento, EPIs podem ser impressos diretamente de casa



IMG-20200327-WA0128_0C999FF8-D78B-4661-B847-0D14DA0809EE.jpg Foto: Arquivo pessoal
07/04/2020 às 21:27

Dar asas a criatividade se torna uma tarefa fácil com as impressoras 3D que ganharam destaque com a impressão de equipamentos de proteção individual (EPI) para equipes médicas que atuam na linha frente contra o novo coronavírus, o professor doutor em ciências mecânicas, Aristides Rivera, é o coordenador do projeto que possue 15 pessoas entre alunos, professores e setor administrativo.

"Já havíamos desenvolvido outros projeto e anunciamos para o reitor que tinhamos o desejo de ajudar a UEA em qualquer necessidade e para colaborar com os médicos da universidade que estarão em contato direto com a triagem", explica. 



A iniciativa busca construir uma média diária de 300 máscaras faciais que tem como matéria-prima principal o acetado.

Entretanto, essa tecnologia não fica restrita as universidades e industriais. Esses equipamentos embora pareçam complexos, as máquinas possuem versões simples e de baixo custo que podem ser produzidas com materiais como sucata, MDF e alumínio, por exemplo, e receber as configurações necessárias para impressão dos EPIs em casa. 

Vantagens

O analista de sistemas da Fundação Paulo Feitosa (FPF Tech), Joel Aragão, íntegra uma das comunidades tecnológicas que disponibilizaram suas impressoras 3D para a confecção das viseiras para os médicos. 

Joel montou um equipamento em casa e diz que a grande vantagem das impressoras  é o custo-benefício que facilitam os testes iniciais (prototipação) de projetos. Diferente da injeção plástica, mais utilizada nas indústrias, as impressoras, não necessitam de grandes  investimentos, apesar da produzirem em velocidade reduzida.

"Qualquer pessoa com um conhecimento mínimo pode criar uma ideia, verificar se ela é válidar sem investir muito nisso", contou.

Aplicações

Por utilizar a manufatura aditiva - que adiciona matéria-prima até a formação do objeto projetado pelo usuário - as criações em três dimensões podem ser contruídas com os mais diversos produtos como plásticos de variadas densidades ou com adição de madeira, fibra de carbono e metal. 

Fora do segmento industrial as máquinas também podem produzir alimentos como chocolate, biscoitos na culinária. Já na construção civil países como a China já constroem casas e prédios com essa tecnologia desde 2016.

"Esses são outros tipos de impressoras, são gigantescas o conceito é o mesmo mas a aplicação delas podem mudar", explica Joel.

Contudo as grandes revoluções acerca deste universo tridimensional ainda estão nos laboratórios e no futuro podem garantir a medicina próteses ainda mais realistas e até a criação de pele similar a humana para auxiliar na cicatrização de ferimentos, além da utilização desse tecido artificial para teste de cosméticos sem o sacrifício de animais.

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.