Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2020
mudança

Jovens da geração Y e Z estão 'abrindo mão' de comprar carro, aponta pesquisa

Pesquisa da Deloitte mostrou que 62% dos jovens das gerações Y e Z preferem utilizar serviços de transporte por aplicativo



carro_6330539E-8AB1-450F-82E7-9A020D332CE5.JPG Marcelo Barbosa (à esquerda) trocou o carro pelo aplicativo de carona remunerada por ser mais econômico e prático do que manter um automóvel. Foto: Glenda Dinely/Freelancer
19/01/2020 às 12:09

Embora o setor automobilístico tenha apresentado crescimento em 2019, adquirir o próprio veículo deixou de ser o sonho de muitos brasileiros. Se anteriormente comprar o carro do ano era sinônimo de status, com a chegada dos aplicativos de mobilidade urbana como Uber e 99Pop, a aquisição do veículo deixou de ser prioridade e tem sido vista principalmente pelos jovens como uma despesa a mais.

Uma pesquisa da Deloitte mostrou que 62% dos jovens das gerações Y e Z preferem abrir mão da compra de um carro para utilizar serviços de transporte por aplicativo. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave), a venda de veículos cresceu mais de 8% no ano passado, motivada justamente pelo crescimento da demanda por serviços de aplicativo. Aos 25 anos de idade, o publicitário Gabriel Sousa revela que não tem interesse na compra de um carro, devido aos gastos com pagamento de taxas e impostos referentes à manutenção do veículo.



“Não preciso pagar IPVA e nem ter dor de cabeça na hora de estacionar. Além disso, com os aplicativos você contribui para a renda de alguém”, ressaltou.

O empresário Marcelo Barbosa também está na lista dos jovens que não fazem questão de adquirir o veículo. Para ele, comprar um carro é comprar também preocupações.

“É mais viável andar de Uber ou ter um carro alugado do que comprar um carro e morrer pagando financiamento. Tem taxas, como IPVA, tem que gastar com gasolina. Sou muito ligado à relação de custo e benefício. É muito mais viável pagar Uber e no fim do mês ter dinheiro sobrando”, resumiu.

Dados Locais

Apesar do cenário, os dados locais em 2019 não refletiram esta mudança de comportamento no Amazonas. Em 2019, 49.990 novos veículos foram emplacados no Estado, segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AM). Ou seja, uma média de pouco mais de quatro mil novos veículos entraram por mês nas vias do Amazonas. No mesmo período do ano de 2018, o número de novos emplacamentos foi de 48.582. A frota do Estado é de 964.331 veículos.

Quanto ao número de habilitados, ainda segundo o órgão chegou a 752.550 condutores em 2019. No ano anterior, o número de habilitados era de 722.337.

Com relação aos novos condutores, em 2019 foram emitidas 29.214 novas habilitações nas categorias “A”, “B” e “AB”

No mesmo período de 2018, foram emitidas 29.201 novas habilitações.

Propostas

Em meados de junho do ano passado, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou uma série de propostas para reduzir em 15 a 20% do preço para tirar a Carteira Nacional de Habilitação, uma delas é a da obrigatoriedade das aulas de simulador.

Blog: André Torbey, educador financeiro

“A vantagem   de andar em um carro de aplicativo é você eliminar algumas despesas como seguros, combustível, manutenção e financiamentos. Dois pontos devem ser fundamentais na análise também: a distância percorrida por dia e a quantidade de deslocamentos. Quando o veículo é usado apenas para ir de um ponto A ao ponto B ele passa a ser facilmente substituído. Quanto maior a distância percorrida ao dia, mais sentido faz em ter um carro próprio. Algumas projeções mostram que ao logo de um ano, para quem anda até 20km/dia, é mais vantajoso usar aplicativos".

News whatsapp image 2019 05 27 at 11.54.48 8d32dbdd 4f80 4c51 b627 e3873c2e56de
Repórter
Cientista Social, Escritora e Jornalista. Repórter de A Crítica, apaixonada pela arte de contar histórias.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.