Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Efeito coronavírus

Serviços de locação de automóveis sofrem queda de 90% durante pandemia

Com pouco movimento nas ruas, locadoras de veículos que lucravam com motoristas de aplicativos tiveram que reduzir valor de diárias



1770578_704CABD8-E144-4C4B-9041-914A8D7DD733.jpg A redução da circulação de pessoas fez com que motoristas devolvessem os carros locados. Foto: Reprodução/Internet.
02/06/2020 às 13:37

O fechamento de serviços não essenciais durante a pandemia reduziu a circulação de pessoas e, consequentemente, afetou a demanda por alugueis de veículos. Segundo a Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis (Abla), 90% dos veículos que vinham sendo alugados para pessoas em viagens de negócios e para famílias em viagens de lazer, estão foram de circulação.

Apesar da diminuição das diárias, o gerente da Le Mans, Cacildo Garcia, revela que a aposta tem sido a propor contratos a longo prazo com as empresas, como um serviço de terceirização das frotas, a negociação com os contratantes, além do investimento em soluções de limpeza para os veículos alugados.



Por outro lado, ele aponta que nas últimas semanas, em Manaus, houve um leve crescimento da procura por veículos, devido a expectativa de abertura do comércio. Ele lembra também que a perda mais significativa, devido à redução de voos diários, foi registrada na franquia do Aeroporto Eduardo Gomes, que recebia muitas demandas de turistas e visitantes.

“Agora o mercado está começando a ter uma atividade mais intensa. A expectativa, óbvio, não é voltar para o mercado que nós tínhamos anteriormente, mas, para melhorar esse mercado, nós estamos buscando ter uma atividade diferenciada”, esclarece Cacildo.

Retomada Positiva

Para o presidente da ABLA, Paulo Miguel Junior, a retomada do setor de aluguel de veículos será muito mais rápida, apesar da excessiva perda na locação de veículos para motoristas de aplicativos que registrou queda de 80% na demanda de carros totalizando 160 mil, em todo o território nacional.

Para a associação a necessidade das pessoas para evitar o contágio por covid-19 levará mais pessoas a optarem pelo transporte compartilhado, aumentando assim a demanda por aplicativos de transporte que, por sua vez, devem crescer ainda mais devido ao aumento do desemprego e busca por outras fontes de renda.

O temor fica a cargo das empresas menores e mais segmentadas que atendiam principalmente os aplicativos de transportes e turismo e, após a crise sanitária, podem ter dificuldades financeiras.

“Estamos trabalhando para que as empresas consigam pegar as linhas de crédito oferecidas pelo governo que, até o momento, estão disponíveis, mas inacessíveis”, explica o presidente.

Segundo o censo do setor de aluguel de veículos, o estado do Amazonas possui 195 locadoras, e é responsável por 1.594 postos de emprego. No Brasil, esse número chega a 75.104.

Blog: Meidson Freitas - motorista de aplicativo

“Eu passei oito meses rodando no carro alugado. Pagava R$ 2,1 mil de aluguel todo mês, era R$ 525 toda semana, sem furar uma semana, senão o carro é tomado. Então, nesse período da pandemia, não tinha como o pessoal ficar com um carro alugado. Ou faz dinheiro para comer, ou faz dinheiro para pagar o carro. E as locadoras o que fizeram? Baixaram o valor delas. Locadora que cobravam R$ 65, hoje em dia está cobrando R$ 30 em um aluguel de carro, mas elas estão com muito carro. A rua aguarda uma melhorada agora final desse mês, mas não está cem por cento como era antes”.

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.