Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
ESTUDO REGIONALIZADO

Startups criam site para alunos se prepararem para provas da Ufam e UEA

As startups amazonenses Akiry e Levedu desenvolveram a plataforma de ensino 'Arsim', que possibilita o aluno a estudar questões específicas dos vestibulares da Ufam e da UEA



DIVULGA__O_ARSIM_96ADE7B0-9F1C-4848-BE6B-E79AD5B55EF6.jpg Foto: Divulgação
11/03/2020 às 15:12

Os estudantes do ensino médio agora dispõem de nova ferramenta tecnológica para se prepararem para os vestibulares da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e da Universidade Estadual do Amazonas (UEA). A plataforma de ensino Arsim, cataloga os conteúdos dos livros pedagógicos utilizados pelo aluno em sala de aula e apresenta ao vestibulando questões de provas do Processo Seletivo Contínuo (PSC), da Ufam, e do Sistema de Ingresso Seriado (SIS), da UEA ,dos anos anteriores em um processo de regionalização do estudo.

A ideia de criar a plataforma de ensino foi da gestora educacional e especialista em vestibulares, Ludmylla Rondon. Ela também é diretora da startup amazonense Livedu, juntamente com o produtor Rafael Rosa. A Arsim surgiu da parceria da Livedu com a também startup amazonense Akiry, dos professores da Ufam e doutores em ciências da computação, César Melo e Moisés Carvalho. Os docentes integram o Instituto de Computação (Icomp) da instituição federal e, sob orientação deles, oito alunos de graduação participaram do desenvolvimento da plataforma.



Ludmylla explica que há 20 anos atua na área da educação. No Amazonas, segundo contou, encontra dificuldade em preparar alunos que irão prestar o vestibular da UEA e da Ufam com os livros didáticos que, de maneira geral, priorizam conteúdos voltados para assuntos que constam no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ou provas de universidades de grandes cidades do Brasil. Segundo Rondon, essa é uma situação encontrada em demais cidades da região Norte, realidade que pretende mudar por meio da plataforma de ensino Arsim.


Ludmylla Rondon com alunos utilizando a plataforma Arsim. Foto: Divulgação

Regionalizar conteúdos

Atualmente, são mais de 51 Universidades Públicas no Brasil que aplicam provas regionais, elaboradas por bancas próprias (internas) ou terceirizadas, totalizando mais de 100 mil vagas de graduação ofertadas. Contudo, não existe uma estratégia direcionada que prepare o aluno para aprovação nesses vestibulares. Por isso, a Arsim desponta nesse mercado, unindo tecnologia e educação, visando munir o estudante com informações sobre todo o certame.

“Hoje cerca de 90% dos materiais disponíveis, tanto didáticos para a escola ou complementar encontrados na internet, são destinados para o Enem. Um dos grandes desafios que os jovens têm para estudar é se organizar em uma rotina de estudo. O que mais prejudica essa rotina é a quantidade de material. É tanto material que ele não sabe o que fazer. Não sabe por onde começar. Então, o que a plataforma faz é pegar esse material didático que o aluno usa na escola, cadastrar esse livro e, por meio disso, cruza cada capítulo e regionaliza o conteúdo para os vestibulares locais”, explicou Ludmylla Rondon.

Essa regionalização possibilita ao aluno responder questões dos vestibulares específicos da Ufam e da UEA. Ludmylla pontua que cada vestibular tem estruturas diferentes.

“Nós não podemos preparar um aluno para fazer o PSC com questões do Enem. As provas são diferentes. Eu tenho que mostrar para ele como o PSC cobra esse conteúdo. Por isso a gente chama de regionalizar. Trazer todo o conteúdo do ensino médio voltado para os vestibulares regionais. Por exemplo, o PSC é uma prova pouco interdisciplinar, bastante pontual e conteudista. O SIS é mais interpretativa e assim ocorre com as demais”, ponderou.


Alunos de uma escola particular foram os primeiros a utilizarem a plataforma Foto: Divulgação

O docente da Ufam, doutor Moisés Carvalho, um dos responsáveis pela startup Akiry, ressaltou que o software começou a ser arquitetado em outubro e desenvolvido em meados de novembro do ano passado.

“Todos que já terminaram o ensino médio sabem da dificuldade para se preparar para um vestibular e ingressar na universidade. A iniciativa é incrível, pois de uma forma muito fácil conseguimos prover essa informação. ‘Ah, eu quero estudar tal assunto’ e pela plataforma poderão ver como o assunto cai na prova e com que frequência nos exames. É algo que agrega muito valor”, destacou Moisés.

Expansão e parceria com escolas

A plataforma Arsim chegará para os vestibulandos de todo o território nacional. Segundo Ludmylla Rondon, o banco de dados do site já está abastecido com as provas do anos de 2019, 2018 e 2017 dos PSC e do SIS.

“Até o mês de abril, o acervo será complementado com os três últimos anos do Macro da UEA e do Processo Seletivo para o Interior (PSI) da Ufam. Até junho, vamos regionalizar a Universidade Federal de Roraima (UFRR) e a Universidade Estadual de Roraima (UERR). E até o final deste ano, regionalizaremos Tocantins (TO). A previsão do Arsim é que até o final de 2020 termos os vestibulares regionais de toda a região norte”, frisou a gestora educacional.

Acesso ao Arsim

Para os alunos terem acesso à plataforma educacional Arsim é necessário que as escolas interessadas procurem a startup Livedu.

“A escola nos procura e existem modelos contratuais. Nós já estamos avançando em rodadas de investimento para custear a expansão, inclusive com grupos educacionais nacionais interessados em disponibilizar para os seus usuários. Nem sempre quem paga é a escola. Às vezes, quem vai pagar é a editora. Mas será importante que a escola busque, afinal, somos pioneiros. Hoje, o que se tem no mercado são bancos de questões. Mas a Arsim faz o tratamento desses dados e a organização das informações com os livros didáticos da escola”, pontuou Ludmylla.


Startups Akiry e Levedu Foto: Divulgação


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.