Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
Mapa do Trabalho

Brasil prepara mercado de trabalho para o 'boom' da tecnologia

Até 2023, país deverá capacitar mais de 10,5 milhões de pessoas nos níveis médio, técnico e superior em profissões ligadas à tecnologia



43402502405_b35360ae1e_z_CB188DDE-5E7D-4180-AE8E-0B0789B2BE9C.jpg Foto: Reprodução / CNI
27/08/2019 às 09:22

A automatização dos processos industriais impulsiona o surgimento de funções ligadas à tecnologia. Quem está inserido no mercado de trabalho ou a procura de uma oportunidade, deve ficar atento às tendências, acompanhando as novas competências exigidas pelas fábricas.

Na semana passada, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgou o Mapa do Trabalho do Trabalho Industrial analisando quais profissões estarão em alta de 2019 a 2023.Embora a previsão de novos postos de trabalho no sistema fabril esteja em baixa para o período (em torno 8,5%), os empregos ligados à tecnologia da informação terão um crescimento de 22%.



Para embarcar nesse crescimento tecnológico, o Brasil deverá capacitar mais de 10,5 milhões de trabalhadores nos níveis médio, técnico e profissionalizante. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) prepara a oferta de novos cursos para suprir a necessidade da indústria.

Entre as cinco ocupações com maior taxa de crescimento para os próximos cinco anos estão: condutores de processos robotizados, técnicos em mecânica veicular, engenheiros ambientais, pesquisadores de engenharia e tecnologia, profissionais de planejamento, programação e controles logísticos e montadores de sistemas e estruturas de aeronaves.

Ainda segundo o levantamento estão previstas parcerias com a Microsoft e a Amazon, além de adaptação das metodologias a nova realidade do da indústria a partir do Mapa do Trabalho.

Novidades no Amazonas

O Diretor da Escola do Senai/Antônio Simões, José Nabor, conta que as unidades de Manaus também passarão por renovações nas grades de cursos de ensino profissional.

“O Senai faz um processo de adaptação e de crescimento da sua oferta formativa para atender essa realidade. Podemos destacar a escola de eletroeletrônica com os cursos técnicos de mecatrônica, automação industrial, eletrônica, cybersegurança, internet das coisas, big data e inteligência artificial”.

Segundo ele, o Senai do Amazonas tem dado foco de investimento para atualizar os cursos que estão na programação local e outros que serão inseridos gradativamente.

Há expectativa para que boa parte dessas vagas seja ocupada por funcionários que já possuem cargos na indústria, mas eles necessitarão adquirir novas competências para manutenção dos seus postos.

Industria 4.0 é mais que automação

Essas mudanças nas competências necessárias para a ocupação industrial são os reflexos da indústria 4.0, que proporciona uma integração entre as máquinas, através da automatização dos sistemas, que exigem conhecimentos específicos sobre os softwares, programas e procedimentos, como explica Diego Pereira, engenheiro de produção e especialista em Lean Manufacturing.

Com sólida experiência na indústria local, Diego desenvolveu este ano a Super Easy Lean, empresa que oferece treinamentos e consultorias em Lean Manufacturing, Indústria 4.0 e as tendências tecnológicas.

“A indústria quer dar inteligência às maquinas para que comecem a coletar dados e transformando em ações enviadas aos responsáveis, algo muito maior do que somente a automação”, explica o engenheiro e consultor.

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.