Domingo, 07 de Junho de 2020
Futuro

Tecnologia LoraWan desembarca no Norte para a construção de cidades inteligentes

Parceira do INTD e da FPF Tech com o IOT Open Labs traz tecnologia revolucionária que permite a criação de produtos e serviços para a construção de cidades mais inteligentes, como prédios, indústrias e carros



1589425_EA12AD24-5377-461D-A610-982E598D39DD.jpg Fotos: Divulgação
03/04/2020 às 08:08

Os desafios diários enfrentados pelas populações nas cidades como mobilidade, saúde, transporte, sustentabilidade e comunicação podem ser amenizados com o auxílio da tecnologia, através do planejamento de cidades inteligentes. De acordo com o ranking IMD Smart Cities Index de 2019, que avalia no mundo como os habitantes percebem o uso de tecnologia nas cidades, aplicada a sua qualidade de vida, o Norte do país teve apenas com um representante, - se avaliados somente os municípios dos 26 estados da federação - em décimo novo lugar, a capital de Tocantins, Palmas.

O planejamento de cidades, indústrias e empresas mais inteligentes para todo o Amazonas ganha um reforço com a tecnologia LoraWan.



A novidade desembarca pela primeira vez na região Norte através da parceria da Fundação Paulo Feitosa (FPF Tech) e o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) com a IOT Open Labs e tem como principal ganho a interligação de serviços a partir das ondas de rádio frequência, que são mais baratos do que a tecnologia GMS utilizada para conexão de celulares por exemplo.

Falta de conexão

A implantação da Internet das Coisas (IOT) - que conecta as cidades inteligentes - pode ser um problema na região amazônica devido à internet limitada ou falta de acesso.

De acordo com o doutor em computação que estuda as cidades inteligentes pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Carlos Maurício Figueiredo, é necessária a busca por novos meios como o 5G ou a conectividade de banda estreita, para solucionar a baixa qualidade de conexão e reduzir os custos para o consumidor.

Maurício indica ainda que essa infraestrutura alternativa seria o primeiro passo para interligação das coisas em cidades como Manaus, melhorando aspectos como: sustentabilidade, reaproveitamento de água, cidades verdes e energias renováveis.

Mas a grande revolução, segundo o professor, será pelo uso massivo das tecnologias da informação e comunicação (TICs), que irão possibilitar a coleta de dados e informações em tempo real para racionalizar a utilização de recursos e melhorar a prestação de serviços.

O doutor diz ainda que desenvolvendo ou implantando novas tecnologias nos seus produtos, os dados fornecidos pelos empresários podem colaborar também para o entendimento ecossistema auxiliando no monitoramento e planejamento urbano.

Com isso, os custos relacionados ao consumo de energia, custo-benefício e abrangência prometem ser sanados, como explica o engenheiro-pesquisador, Sérgio Abreu.

“Imagina um produtor que cria peixe no interior e lá não tem conexão com o celular. Você pode hoje criar a sua própria rede para monitorar o que você achar necessário”, ressalta.

A LoRaWAN permite a criação de produtos e serviços em segmentos como cidades e prédios inteligentes, indústrias conectadas, cadeias de suprimentos, agronegócios, varejo inteligente, carros conectados, além de diversas soluções de energia renovável.

News giovanna 9abef9e4 902c 428b a7c8 c97314664fb7
Repórter
Repórter de A CRÍTICA. Sempre em busca de novos aprendizados que somente uma boa história pode trazer.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.